Ler já não é só em papel. Desafios da era digital em debate

28 out, 2013 • Fátima Casanova

Será que a multiplicação de ecrãs está a mudar a nossa relação com a leitura? “Os livros e a leitura: desafios da era digital” é o tema que em foco na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

O que significa ler em 2013? Já não implica folhear páginas de papel, isso é certo. A internet é um livro aberto para mais de metade dos seus utilizadores, revela um estudo sobre leitura digital, segundo o qual 58% dos utilizadores de internet já leu livros digitais.

Será que a multiplicação de ecrãs está a mudar a nossa relação com a leitura, quer ao nível do que lemos, quer quanto ao modo como o fazemos? Para responder a esta e outras perguntas, decorre esta segunda-feira, em Lisboa, a Conferência Internacional de Educação, com o tema “Os livros e a leitura: desafios da era digital”.

O formato digital já não assusta, nem quem tem por hábito agarrar num livro para ler, mas a realidade pode trazer novos desafios junto das editoras, afirma o professor do ISCTE Gustavo Cardoso, coordenador de um estudo sobre o assunto.

A multiplicação de ecrãs na vida de cada um permite, ao mesmo tempo, criar novos leitores – não daqueles que devoram livros, mas dos que gostam de escrever em redes sociais, defende ainda o especialista.

Gustavo Cardoso apresenta hoje o estudo sobre leitura digital na fundação Calouste Gulbenkian.