Escolas com dificuldade em contratar professores

24 set, 2013

Foram colocados 1.500 docentes, mas nenhum deles vai para as escolas em território de intervenção prioritária. A Renascença encontrou dois casos, em Benfica e Leiria, onde há alunos ainda sem professores.
Vai ser mais uma semana sem aulas para muitos alunos. A contratação de professores cabe à escola, porque está em território educativo de intervenção prioritária (TEIP), mas a tarefa não está a ser fácil.

No agrupamento de escolas de Benfica, em Lisboa, faltam docentes de vários níveis de ensino, mas a situação mais complicada vive-se no primeiro ciclo: há alunos de seis turmas da escola Arquitecto Gonçalo Ribeiro Teles, que continuam em casa.

O director do agrupamento, Manuel Esperança, explica à Renascença que a dificuldade prende-se com o facto de o “número de professores que tinha sido convocado era o suficiente para dar resposta aos horários que tenho ainda por colocar”. Mas, relata o seu espanto quando na segunda-feira, na parte da tarde, foi publicada a lista da segunda reserva de recrutamento. 

“Aquilo foi uma debandada total das pessoas que tinha convocado”, acrescenta director do agrupamento de escolas de Benfica, onde o ano lectivo começou com 36 professores em falta.

Na segunda-feira foram colocados pelo Ministério da Educação 1.500 professores, mas nenhum deles vai para as escolas em território de intervenção prioritária. Quer isto dizer que vai ter de ser iniciado um novo processo de recrutamento, “mobilizando mais professores com graduações profissionais mais baixas”, explica Manuel Esperança.

Esta é uma situação que se repete nas várias escolas em território educativo de intervenção prioritária. Por exemplo, em Leiria, no agrupamento de Marrazes, faltam 10 professores e só agora a direcção vai iniciar o processo de contratação.

O director do agrupamento, José Violante, diz que só poderá “entrar em processo de contratação, que ainda é demorado e às vezes prolonga-se mais de uma semana até conseguirmos seleccionar o candidato, depois de esgotadas as possibilidades da bolsa de recrutamento”.