Escolas perdem 40 mil alunos até 2017

07 set, 2013

Decréscimo demográfico é responsável por “roubar” alunos às escolas, contrariando assim o efeito que teve o alargamento da escolaridade obrigatória.
Até 2017 haverá menos 40 mil alunos nas escolas públicas e privadas, do básico ao secundário.

A estimativa do ministério da Educação consta de um estudo da Direcção-geral de estatística da Educação e Ciência e que analisa o período entre os anos de 2011 e 2017.

No primeiro e segundo ciclos espera-se uma redução de mais de 50 mil alunos, face ao decréscimo demográfico do país, nos escalões etários mais baixos.

No terceiro ciclo do básico, prevê-se um crescimento mas pouco expressivo.

No ensino secundário também se espera uma pequena subida do número de alunos inscritos, mas neste caso devido à consolidação de ofertas alternativas ao ensino regular, nomeadamente os cursos profissionais. Mesmo assim, pode representar mais 11.500 alunos no nível secundário.

O estudo conclui que apesar das medidas para combater o abandono escolar, o sistema vai perder alunos de forma acentuada, assim que passar o efeito do alargamento da escolaridade obrigatória, que agora é até ao décimo segundo ano.