O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|

226 manifestantes detidos por obstrução de via rodoviária

27 jun, 2013 • Celso Paiva Sol

Participantes no protesto em Lisboa em dia de greve geral demarcaram-se da manifestação da CGTP e seguiram pelas ruas da capital em direcção à ponte 25 de Abril, onde foram travados pela polícia.

As autoridades identificaram 226 manifestantes que tentaram cortar o trânsito em direcção à Ponte 25 de Abril, em Lisboa, ao final da tarde desta quinta-feira. Ao que a Renascença confirmou, junto de fonte da PSP, foram detidos para identificação "por obstrução de via rodoviária”.

Na prática, significa que podem vir a ser notificados para comparecer esta sexta-feira de manhã no Tribunal de Pequena Instância de Lisboa.

Os manifestantes, que participaram numa manifestação da CGTP no âmbito da greve geral, saíram das imediações da Assembleia da República em direcção à ponte, fazendo o trajecto pelo Largo do Rato. Seguiram para a entrada da A5, junto ao centro comercial das Amoreiras, e foi nesse ponto que foram travados pela polícia. O acesso à 25 de Abril faz-se a partir deste local.

O trânsito na A5 no acesso à ponte esteve cortado durante alguns minutos antes das 19h00, enquanto a polícia de intervenção tentava impedir o avanço do protesto. Ouviram-se palavras de ordem como "a ponte é nossa" e "fascismo nunca mais". A polícia formou nessa altura um quadrado para cercar os manifestantes e procedeu à sua identificação numa rua lateral.

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, já veio demarcar a intersindical deste protesto.

A greve geral desta quinta-feira foi convocada pela CGTP e a UGT contra as medidas de austeridade do Governo. Esta é a quarta vez desde o 25 de Abril que as duas centrais se juntam em greve geral, que é a segunda que o actual primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, enfrenta.

[Notícia actualizadas às 3h08]