Final feliz para touro fugitivo de Viana

26 jun, 2013

Movimento pagou 1.378 euros ao proprietário, salvando o animal de 500 quilos do matadouro. Dinheiro foi angariado através de uma campanha nas redes sociais.
Uma campanha de angariação de donativos nas redes sociais permitiu garantir a compra de um dos dois touros de Viana do Castelo, que em Maio chegou a estar fugido vários dias. O animal escapa do matadouro para ir viver em liberdade em Aveiro.
 
A compra do touro, de 500 quilos e considerado o mais perigoso dos dois que encetaram a fuga a 6 de Maio quando estavam a ser carregados para o matadouro, foi concretizada esta terça-feira, em Viana do Castelo, através de um pagamento de 1.378 euros ao proprietário.

O dinheiro foi angariado através da dinamização feita pelo movimento "Touros em Fuga", que reúne cerca de 3.000 seguidores nas redes sociais. Foi criado a 10 de Maio exactamente para "patrocinar" a "fuga definitiva" dos dois animais.

Na sua quinta em Perre, Viana do Castelo, Manuel Farinhoto, de 66 anos, preparava-se agora para o enviar para o matadouro, quando foi surpreendido com a proposta de compra. "Teve sorte, eu nunca acreditei muito nisso, que houvesse pessoas a apoiá-lo [ao touro], mas parece que se vai safar. Foi esperto, fugiu e safou-se", contou Manuel Farinhoto, já depois de concretizada a compra do animal, que deve partir para Aveiro, onde vai viver em liberdade, dentro de uma semana.

"A fuga dos animais e a sua luta pela liberdade sensibilizou-me imenso e senti que tinha de fazer alguma coisa. Fiquei muito satisfeito por ver a mobilização que foi dada a este caso, um exemplo de cidadania participativa", explicou Miguel Dinis, o publicitário de Lisboa que fundou o movimento "Touros em Fuga" e que viajou até Viana do Castelo para formalizar a compra.

A aquisição do touro e a campanha de angariação de fundos foi realizada em parceria com a associação S.O.S Equinos, de Aveiro, que o vai receber e que se compromete a garantir que viva em liberdade, sem a ameaça do matadouro ou mesmo negociar o animal.

Até ao momento, apenas um foi recuperado, por mais de uma dezena de populares que o procuravam nos montes da freguesia de Outeiro. Acabou por ser devolvido ao seu criador seis dias depois da fuga.

Os dois animais, de raça galega, um deles descrito como "muito bravo", estavam vendidos para um talho de Ponte de Lima por mais de 2.500 euros.