|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

Prova de Português

Dirigentes escolares pedem anulação dos exames realizados esta segunda-feira

17 jun, 2013

Pedido é feito em "nome da igualdade, da equidade e da transparência". Associação do sector fala em "situação pouco clara e intranquila." Exame foi remarcado para 2 de Julho nos casos de quem não o conseguiu fazer.

Dirigentes escolares pedem anulação dos exames realizados esta segunda-feira

O presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE), Manuel Pereira, sugere ao Ministério da Educação que anule todos os exames de Português para voltar a realizá-los num mesmo dia, em nome da igualdade de circunstâncias.

Em causa está o exame de Português do 12º ano, que mais de 20 mil alunos não puderam realizar esta segunda-feira devido à greve de professores. Trata-se de cerca de 30% do total de estudantes, que vão poder fazer o exame a 2 de Julho.

Manuel Pereira defende que, a bem da transparência, todos os alunos deveriam fazer a prova nesse dia. "A situação é tão pouco transparente, tão intranquila, tão pouco clara que valia a pena em nome da escola pública, em nome da transparência, em nome da igualdade, em nome da equidade, anular este exame e então dia 2 de Julho fazer com que todos os alunos voltassem a fazê-lo."

Já Rui Martins, da Confederação Nacional Independente de Pais e Educadores (CNIPE), diz que o ministro Nuno Crato não conseguiu evitar a confusão nas escolas, com prejuízo para os alunos. "Depois de não ter evitado [a greve], criar a bagunça que criou hoje nas escolas, em que há alunos que fazem exame e outros que não fazem, qualquer aluno pode, em situação normal, pôr em causa a sua prova."

Por sua vez, nas escolas particulares e cooperativas a greve de professores não teve quaisquer efeitos. Todos os alunos foram a exame, garante Rodrigo Queiroz e Melo, secretário-geral da associação de estabelecimentos de ensino particular e cooperativo.

O ministro da Educação anunciou esta segunda-feira que os alunos impedidos de fazer os exames nacionais de Português devido à greve dos professores prestam prova a 2 de Julho, às 9h30. Nuno Crato garante que mais de 70% dos alunos conseguiram realizar o exame esta segunda-feira e que 73% das escolas com exames marcados estiveram a funcionar em pleno.

O ministro garante ainda que os alunos que vão fazer o exame na nova data não serão nem prejudicados nem beneficiados, recordando que  faz parte dos procedimento habituais "ter um conjunto de vários exames preparado com graus de dificuldade semelhantes".