O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Crise

Cortes na iluminação pública não aumentaram criminalidade

03 mai, 2011

A viverem em aperto financeiro, 10 concelhos do distrito de Viana do Castelo começaram a cortar na iluminação pública.
Cortes na iluminação pública não aumentaram criminalidade
A segurança dos cidadãos dos dez concelhos de Viana do Castelo não sofreu alterações na sequência da redução da iluminação pública, implementada há cerca de dois meses.

“Até ao momento, não temos nenhuma situação anormal por causa da questão da iluminação. O que a GNR está a fazer é uma análise mais profunda dos locais do crime para eventualmente identificar algum que esteja a ser mais procurado pelos delinquentes por causa da falta de iluminação”, afirma à Renascença o tenente-coronel António Prazeres.

A GNR também não tem registo de queixas de insegurança por parte das populações.

A medida foi implementada na comunidade inter-municipal Minho-Lima e consiste em desligar um em cada três pontos de luz durante a madrugada. O objectivo é poupar, até ao final do ano, cerca de um milhão de euros na factura de electricidade, sem prejudicar a segurança dos munícipes.