O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Ouvir Emissão
Acabou de Tocar MAROON 5 - THIS LOVE Acabou de Tocar

Últimas NotíciasPaísMundoPolíticaEconomiaReligiãoCulturaSaúde e CiênciaInfo A-ZEspeciaisPodcast

Lucros da Jerónimo Martins sobem para 340 milhões

Na sessão de apresentação de resultados, Alexandre Soares dos Santos defendeu mais planeamento das empresas nacionais e menos fixação nos “salários dos ricos”.
07-03-2012 15:06

O grupo Jerónimo Martins registou um aumento de 21,1% do lucro no ano passado, face a 2010, para 340 milhões de euros.

Na conferência de imprensa de apresentação de resultados, o presidente do conselho de administração, Alexandre Soares dos Santos, defendeu um maior planeamento das empresas para aumentar a produtividade em Portugal.

"Quando vemos a história económica do nosso país, vemos que há uma falta de planeamento muito grande". Por isso, considerou o gestor, uma empresa que pretenda atingir determinado objectivo tem de "definir uma estratégia", acreditar no que pretende conseguir, fazer as correcções necessárias e "acreditar naquilo que fez".

O segundo ponto "é que se acabe com esta mania nacional dos salários dos ricos, dos quadros", criticou Alexandre Soares dos Santos.

"Temos de ter políticas salariais onde as pessoas que trabalham sintam que o produto deste também vai para elas. Têm de haver políticas de remuneração", salientou o gestor.

Alexandre Soares dos Santos foi mais longe nas críticas e acusou aqueles que "chamam de reformas milionárias [as que recebem] quem andou toda a vida a descontar", mesmo que tenham pensões de quatro mil euros.

Essas pessoas, adiantou, "não andaram a roubar a ninguém", mas estão a receber aquilo que o Estado disse que tinham direito pelos descontos efectuados.

PARTILHAR

  • PUB

Deixe aqui o seu comentário relativo a este artigo. Todos os comentários estão sujeitos a mediação.

Tem 1500 caracteres disponíveis

Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.


Entrar Renascença V+
Marques Guedes: “É sempre bom que a justiça funcione”



INFORMAÇÃO      BOLA BRANCA      PROGRAMAÇÃO      MÚSICA      MULTIMÉDIA      OPINIÃO