Emigração pode ter ajudado a baixar taxa de desemprego

06 ago, 2015 • Hugo Monteiro

Taxa de desemprego está nos 11,9%. Dados do INE revelam também que o universo de trabalhadores com dois ou mais empregos aumentou, tal como o de contratados a prazo.
A crescente emigração, sobretudo da população jovem, é um dos factores a ter em consideração quando se analisa a redução da taxa de desemprego anunciada na quarta-feira.

Em 2013, emigraram, pelo menos, 110 mil portugueses e entre 2012 e 2013 a população residente em Portugal diminuiu 0,5%. No total, estavam emigrados em 2013 entre dois milhões e 2,3 milhões de portugueses – ou seja, mais de 20% dos cidadãos vive fora do país em que nasceu. Os dados são do último relatório do Observatório da Emigração.

Portugal é, assim, e em termos relativos, o segundo país da União Europeia com maior número de emigrantes.

O Instituto Nacional de Estatística (INE), publicou na quarta-feira os números actualizados do desemprego em Portugal, revelando uma diminuição em 1,8 pontos percentuais face ao trimestre anterior e 2,0 pontos percentuais abaixo do trimestre homólogo de 2014. A taxa de desemprego fixou-se, assim, entre Abril e Junho, nos 11,9%.

Segundo os mesmo dados, no segundo trimestre de 2015, o emprego em “part-time” aumentou 9,1% – mais de 25 mil casos do que igual período do ano passado. Há também mais 68.700 contratados a prazo do que em igual período do ano passado.

O universo de trabalhadores com dois ou mais empregos também aumentou. De acordo com o INE, o número de pessoas com uma actividade laboral secundária cresceu quase 5%, para um total de mais de 216 mil casos.

A trabalhar por turnos, há mais 33 mil pessoas.