|

Anúncio de greve na TAP tem "efeitos catastróficos"

16 abr, 2015

Clientes e agentes de viagens já estão a desmarcar reservas para os dias de greve, lamenta sector do turismo.

Anúncio de greve na TAP tem "efeitos catastróficos"

O presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) diz que, mesmo que a greve dos pilotos da TAP seja desconvocada, o mal já está feito.

Em declarações à Renascença, Pedro Costa Ferreira explica que o anúncio da paralisação dos pilotos já tem efeitos “catastróficos” e as “consequências já estão aí”.

“Se esta greve for desconvocada para a semana, na véspera, já não nos interessa nada disso. Os efeitos estão feitos, são catastróficos, ficam a perder os clientes, as agências de viagem e, sobretudo, a TAP.”
 
“Se fosse uma fábrica de clips, eu podia tentar resolver este problema até ao último minuto da véspera. Numa indústria aérea, a partir do momento em que a greve é anunciada é a partir daí que as consequências se colocam”, sublinha o presidente da APAVT.

Segundo Pedro Costa Ferreira, “desde o primeiro minuto do dia de hoje que os clientes e os agentes de viagens estão a esvaziar as reservas” para os dias de greve.

O presidente da Confederação do Turismo Português (CTP), Francisco Calheiros, considera que “a TAP não vai aguentar dez dias de greve”, uma vez que a situação financeira da companhia aérea “é débil”.  “Não interessa muito ganhar o que quer que seja, ou ter razão, se amanhã não tiverem companhia aérea”, afirmou o presidente da CTP à Lusa.

Os pilotos da TAP decidiram avançar para dez dias de paralisação, entre 1 e 10 de Maio. Exigem contrapartidas pela privatização da empresa. Os pilotos dizem-se prontos para negociar, mas o Governo afirma que não haverá mais conversações.

A TAP diz que esta greve poderá implicar um prejuízo de 70 milhões de euros.