|

Onde está o prometido Banco de Fomento?

03 jun, 2014

Presidente da PME Portugal aplaude a ideia do programa “Revitalizar”, mas lamenta a demora na concretização da instituição pública de crédito.

As pequenas e médias empresas (PME) voltam a reclamar a criação do Banco de Fomento, que o Governo previa estar em funcionar no final do primeiro semestre deste ano.

A resolução que estabelece a instituição financeira foi aprovada em conselho de ministros em Novembro do ano passado.

O secretário de Estado da Competitividade revela ao “Jornal de Negócios” que o Governo vai apresentar à “troika” uma medida que permite às empresas abrangidas pelo programa “Revitalizar” terem acesso a uma linha de crédito específica para as necessidades financeiras de curto prazo.

O presidente da PME Portugal aplaude a ideia, mas lamenta a demora na concretização do Banco de Fomento: “lembro que era uma das situações que deveria já estar implementada, na medida que se trata de orientações europeias de apoio às PME”.

José Alves da Silva sublinha, em declarações à Renascença, que a directriz é apoiar as PME como motor de crescimento e de combate ao desemprego.

A 29 de Abril, o secretário de Estado das Finanças afirmou, no Parlamento, que a nova instituição pública de crédito terá um capital inicial próximo dos 100 milhões de euros e pretende potenciar uma capitalização de 10 mil milhões de euros.