O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|

Rui Moreira assume candidatura à Câmara do Porto

05 Fev, 2013 • Raquel Abecasis

"Estou a montar a máquina", diz o actual presidente da Associação Comercial do Porto em entrevista à Renascença, onde afirma ainda que a sua candidatura combate as tentações populistas de Luís Filipe Menezes.
Rui Moreira assume a candidatura à Câmara do Porto nas eleições autárquicas marcadas para Outubro deste ano. Em entrevista ao programa "Terça à Noite", da Renascença, o candidato independente confirma que o essencial da sua decisão já está tomada e que "os assuntos pessoais estão resolvidos". "Estou a montar a máquina", diz o actual presidente da Associação Comercial do Porto, afirmando que a sua candidatura combate as tentações populistas de Luís Filipe Menezes.

Rui Moreira assume a candidatura à Câmara do Porto nas eleições autárquicas marcadas para  Outubro deste ano. Em entrevista ao programa "Terça à Noite", da Renascença, o candidato independente confirma que o essencial da sua decisão já está tomada e que "os assuntos pessoais estão resolvidos".

Com o manifesto que lançou de preparação da candidatura, subscrito por centena e meia de personalidades, Rui Moreira diz que percebeu que as pessoas "identificam-se" com as suas ideias e que "não se identificam com as outras candidaturas". 

Para formalizar a sua candidatura, Rui Moreira diz que "há uma terceira barreira que está a ser trabalhada, mas que ainda não está totalmente vencida, que é perceber até que ponto tenho recursos para uma candidatura vencedora". "Para isso, preciso de ter uma máquina que não tenho, mas que estou a montar."

Nesta entrevista à Renascença, o presidente da Associação Comercial do Porto diz que "o programa já está mais ou menos pensado". "Falta formar uma equipa que permita estar na rua e nas redes sociais a responder às perguntas dos cidadãos."

Rui Moreira diz que não vai rejeitar o apoio de ninguém, incluindo do CDS, mas sustenta que isso não faz da sua candidatura uma candidatura partidária, até porque tem apoios transversais do ponto de vista ideológico e social.

Sobre o candidato social-democrata Luís Filipe Menezes, considera "surpreendente" que a candidatura do PSD "se apresente a dizer mal de tudo o que está feito e com uma proposta alternativa que não satisfaz a maior parte dos portuenses". Rui Moreira diz mesmo temer que "algum caudilhismo" leve o Porto a perder uma excelente base de partida que agora tem, ou seja, que Menezes hipoteque o futuro do Porto com propostas populistas e irrealizáveis.