Lisboa tem 852 sem-abrigo, dos 16 aos 85 anos

12 fev, 2014 • Filomena Barros

Os casos foram encontrados, sobretudo, nas freguesias de Santa Maria Maior, Parque das Nações e Santo António.  
Lisboa tem 852 sem-abrigo, dos 16 aos 85 anos
Lisboa tem 852 sem-abrigo, dos 16 aos 85 anos
Foram encontrados 852 sem-abrigo, nas sete mil ruas da cidade de Lisboa. O levantamento de dados realizou-se numa só noite, a 12 de Dezembro do ano passado, com centenas de voluntários. A iniciativa partiu da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) para conhecer quem vive nas ruas da capital ou não tem casa. Rita Valadas, administradora da Santa Casa para a Acção Social, comenta os dados apurados.
Foram encontrados 852 sem-abrigo, nas sete mil ruas da cidade de Lisboa. O levantamento de dados realizou-se numa só noite, a 12 de Dezembro do ano passado, com centenas de voluntários.

A iniciativa partiu da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) para conhecer quem vive nas ruas da capital ou não tem casa. Do total dos sem-abrigo, 509 foram sinalizados na rua, 343 em centro de acolhimento.

Os casos foram encontrados, sobretudo, nas freguesias de Santa Maria Maior, Parque das Nações e Santo António.

No âmbito do trabalho realizado de Abril a Dezembro de 2013, foram preenchidos 454 inquéritos que permitem saber que a maior parte dos sem-abrigo está nessa situação há menos de um ano, 17% vive na rua há um ou três anos, outros há três ou seis anos e 5% há mais de duas décadas. Foi detectada uma pessoa que vive há 40 anos na rua.

Os sem-abrigo são sobretudo homens entre os 34 e 54 anos. A pessoa mais nova contactada tem 16 anos, a mais velha, 85 anos.

São maioritariamente solteiros e de nacionalidade portuguesa. Quanto aos estrangeiros, alguns respondem que só querem o bilhete de volta para o país de origem.

Quanto à educação, 4,6% tem qualificações superiores, mas 7,7% não sabe ler nem escrever.

A grande maioria, 71,8%, não tem qualquer fonte de rendimento e muitos recebem apoio de alimentação.

Quanto às causas, a situação de exclusão social resulta, na maior parte dos casos, de conflitos familiares e relacionais, desemprego, doença física ou mental.

Os dados são do programa “Intersituações”, que arrancou em Abril de 2013, com a SCML e parceiros da cidade de Lisboa para conhecer a realidade dos sem-abrigo.