O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Ouvir Emissão
Acabou de Tocar MARVIN GAYE - SEXUAL HEALING Acabou de Tocar

Últimas NotíciasPaísMundoPolíticaEconomiaReligiãoCulturaSaúde e CiênciaInfo A-ZEspeciaisSínodoPodcast

PS contra provas finais no 4º ano

  • Áudio Odete João não vê vantagens em ter exames no 4º e 6º ano

  • Áudio Odete João: Reforma contraria indicações

  • Áudio Duarte Marques considera reforma exigente

Socialistas consideram que exames só vão servir apenas para seleccionar alunos.
27-03-2012 2:53

O Partido Socialista não concorda com a introdução de provas finais no quarto ano. A deputada Odete João diz que os exames vão servir apenas para seleccionar alunos.

“É uma marca que vai começar a seriar os alunos desde muito cedo, não me parece que seja esta a melhor opção”, sublinha.

Para o PS, esta reforma contraria as indicações do Conselho Nacional de Educação, de “alguma estabilidade nas decisões e políticas educativas”.

Por sua vez, o líder da JSD, Duarte Marques, congratula-se com a manutenção da Formação Cívica no currículo do ensino básico.

Em declarações à Renascença, Duarte Marques diz que estamos perante uma proposta de reforma exigente.

PARTILHAR

Comentários (49)
  • » José Freitas, Funchal, 27-03-2012 14:41

    Concordo plenamente com esta medida, mas, falta também a criação de uma Ordem de Professores, dada a grande dimensão e importância desta classe, à semelhança dos Advogados, Médicos, Arquitectos, Economistas, Enfermeiros e mais recentemente dos Técnicos Oficiais de Contas. Todavia, estes já eram regulados antes pela Câmara, bem como os solicitadores que ainda não passaram a Ordem. Se se mantivesse a avaliação a nível nacional, desde sempre, esta teria funcionado, não só como forma de separação "do Trigo do Joio", a nível dos estudantes, bem como a nível dos professores na avaliação da qualidade do seu desempenho. Este seria um sistema que teria impedido, o caos a que chegou o país, com uma "carrada" de gente iludida, a pensar que ter um canudo, dava direito a ter um bom emprego. Na actual conjuntura, tudo parece ser condenado ao fracasso, da parte de quem governa, parece haver uma certa falta de estratégia de relançamento da economia. A educação e a natalidade, deveriam ser as áreas chave para o desenvolvimento sustentado do país, e esta parece-me ser um primeiro passo nesse sentido, para uma melhor distribuição dos futuros recursos humanos, pelos vários sectores económicos do país.
  • » mulherdocapuz, Lisboa, 27-03-2012 12:32

    Então é esta a maneira que V. Exas. encontraram de resolver a incompetencia geral? e os vários insucessos? Saibam V. Exas. que há escolas onde se aplica a chapa número 5 a tudo : actas (sim, aCtas!), alunos, pais, professores.Os Conselhos e os Professores Têm medo dos Paizinhos. Estes por sua vez não dão educação nos filhilhos e é um farabadó nas Escolas.Os Professores têm que aturar os meninos dentro da sala de aula porque têm medo que os Pais reclamem.Ora pois está-se mesmo a ver que Exames nacionais cegos, a todas as disciplinas é uma ótima ideia!
  • » António Pedro Delgado, Cacém, 27-03-2012 12:18

    O PS, arvorando-se de esquerda desde o 25 de Abril, procura políticas que agradem à maioria que só quer facilidades. Passar sem o mínimo de conhecimentos aceitável foi sempre a bandeira dos socialistas, apenas com o intuito de ganhar eleições. Eis a razão que as nossas crianças denotam um défice de conhecimento enorme. A Língua Portuguesa e a Matemática são as disciplinas mais sacrificadas pelos socialistas. Força com esta reforma, que vai elevar o nível das crianças portuguesas.
  • » Maria do Anjo Caldas, Santarém, 27-03-2012 11:50

    Não vejo qualquer razão para se voltar aos exames do tempo do Salazar. Nesse tempo decoram-se coisas que nunca eram dadas à compreensão. Nada se pode comparar. No actual governo parece que andam todos com uma espécie de bandeirinha esquisita...
  • » Natalia, Leiria, 27-03-2012 11:44

    Concordo plenamente com os exames no 4º ano, sou docente e estou pela primeira vez, opós alguns anos de carreira, a dar matemática a um 5º ano, e é incrivel como alunos que não sabem a tabuada nem as mais básicas como a do dois, damos uma expressão com três operações e não sabem resolver, fazendo primeiro uma adição em vez de uma divisão, alunos que retiraram DD nas duas provas de aferição e transitaram para o 5º. Venho os ditos exames e passa quem sabe alguma coisa.
  • PUB
  • » Maria, Gaia, 27-03-2012 11:42

    Não! é melhor passar tudo quer seiba quer não saiba!!!! é o facilitismo tipico!!!! Como mãe e enc. de educação, gostaria que as minhas filhas fôssem avaliadas com justiça, que lhes fôsse atribuida a nota consuante o seu merecimento sem facilitismos, pois isso em nada beneficia ninguém, a não ser os cábulas. Daí não me admira a opineão dos srs. e sras. do P.S.
  • » Mouta, Braga, 27-03-2012 11:35

    Será que finalmente o bom senso chegou ao Ministério da Educação? O PS perdeu uma optima ocasião para estar calado. Os exames no 4º ano são uma necessidade a muitos niveis, inclusivé para que os alunos saibam desde pequeninos que estudar é trabalhar e que não passam se não o fizerem. Nestes ultimos anos têm sido cometidos erros gravissimos na educação das nossas crianças: Tudo é brincadeira, nada é levado a sério,falta de respeito pelos agentes do ensino, os bons alunos prejudicados pelos que só estão interessados emfaxer bagunça,falta de autoridade, e no fim..ninguem é responsável por nada... É este clima que o PS quer que continue? Esperava muito mais deste partido,que infelizmente para todos nós, nos levou ao caos não só na educação como em todos os outros dominios.
  • » siri, TVD, 27-03-2012 11:33

    Penso que já tudo foi dito, no entanto reforço essas mesmas palavras. Não vejo qualquer mal, pelo contrário, em que se façam provas de avaliação nos 4º, 6º, 9º e 12º anos. Penso que são fases de transição determinantes que requerem o cimentar dos conhecimentos adquiridos, e nada melhor do que uma avaliação nessas alturas para que cada um se concentre na aquisição desses conhecimentos e os demonstre de fato. Para além de que essa pressão do momento é salutar e os vai preparando para o futuro enfrentando e vencendo obstáculos. Não é com facilitismos que se prepara alguém para a vida. Estes senhores que defendem a supressão destas avaliações tentam vender demagogia, e suspeito que defendam estas idéias perversas por forma a manter o povo quanto mais ignorante melhor para poderem governar como bem entenderem sem oposição esclarecida. A mim não me enganam eles.
  • » frs, Lisboa, 27-03-2012 11:31

    As pessoas esquecem-se que há uma pequena diferença entre ser doutor e ter acesso à educação essencial que é fornecida até ao 9º ano. Outra coisa que as pessoas se esquecem é que exames no 4º ano não mudam nada em termos de melhoria de ensino se os exames não forem bem feitos, se forem à base do bom velho Português em que se tem de decorar os afluentes dos rios todos de Portugal o máximo para que isso vai servir é para desmotivar as crianças do ensino e matar-lhes a curiosidade natural com que nascem. Criar motivação é sempre mais positivo do que criar obrigações, especialmente numa fase tão precoce da vida como o ensino básico. Não vejo onde é que esta medida possa melhorar alguma coisa no sistema educativo actual.
  • » OBSERVADOR, LISBOA, 27-03-2012 11:31

    O PS está do lado dos que defendem o igualitarismo basista ( mas fartou-se de ferir os principios básicos da equidade e universalidade das medidas que tomou durante o Socratismo - como na dita reforma dos Cuidados de saúde Primários), negando o que é estrutural e normal num verdadeiro sistema de ensino : a existência de EXAMES selectivos de quem está apto ou não a progredir para o degrau seguinte da aprendizagem Escolar; a filosofia que tem adoptado é um erro social crasso. uma perspectiva alienatória - o "passarem" todos de ano. E foi este espírito de deswvalorização do trasbalho e dedicação de quem estuda que esteve na base da criação das chamadas "Novas Oportunidades" , no frma como estão concebidas ... em 6 meses fazes um ciclo e num ano outro... toca de dar certificados de habilitações do 9º e 12 º anos a quem não percorreu o normal tempo fromativo. Uma coisa é dar oportunidades a qualquer um, em qualquer altura da vida, poder retomar os estudos, outra a falsidade das "novas oportunidades". A vida é feita de selecções - desde que todos tenham oportunidades semelhantes para escolherem o que querem. Para o PS são só "facilidades" , para atingir números estatísticos. Mas não é assim que se prepara o futuro do País e se formam as novas gerações. Nem as sociedades que experimentaram o regime comunista funcionavam assim, á moda do PS de cá.
  • PUB

Deixe aqui o seu comentário relativo a este artigo. Todos os comentários estão sujeitos a mediação.

Tem 1500 caracteres disponíveis

Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.


Entrar Renascença V+
Processos judiciais em estado de Citius



INFORMAÇÃO      BOLA BRANCA      PROGRAMAÇÃO      MÚSICA      MULTIMÉDIA      OPINIÃO