Extinta Fundação para as Comunicações Móveis, distribuidora dos Magalhães

27 set, 2011

As dívidas da FCM, distribuidora dos computadores Magalhães, podem chegar aos 73 milhões de euros.

O Governo vai extinguir a Fundação para as Comunicações Móveis (FCM), a polémica fundação que tinha a seu cargo a distribuição dos computadores Magalhães.

O secretário de Estado das Obras Públicas e Comunicações, Sérgio Monteiro, confirmou hoje aos deputados no Parlamento que a fundação vai ser extinta, embora o Estado vá prosseguir com o programa e-Escolas.
Sérgio Monteiro afirmou que os custos do encerramento da fundação estão ainda a ser calculados, porque existem dívidas que têm de ser pagas.

A FCM tem 65 milhões de euros de dívidas a fornecedores, mas o secretário de Estado admite que podem chegar aos 73 milhões. Sérgio Monteiro revelou ainda que há duas hipóteses para saldar esses encargos e que ambas as soluções representam encargos para o Orçamento do Estado.

O Governo PSD-CDS revelou ainda que a Fundação para as Comunicações Móveis tem ainda 20 milhões de euros de contrapartidas aos operadores de telemóvel e ainda não há decisão sobre como cobrar essa receita devida.