“Desastroso” arranque de ano lectivo para crianças com necessidades especiais

01 set, 2015

Número de crianças sinalizadas subiu 70%, mas quantidade de docentes mantém-se inalterada.
“Desastroso” arranque de ano lectivo para crianças com necessidades especiais

A Associação Portuguesa de Deficientes (APD) considera que o ano lectivo vai começar de uma forma “completamente desastrosa” para as crianças com necessidades educativas especiais.

O número de crianças sinalizadas vai nos 78 mil, mais 70% que em 2011, mas o número de professores mantém-se nos 5.700.

“Parece-me mais gravoso ainda que nos outros anos, porque o aumento que houve de alunos com necessidades educativas especiais passa para praticamente o dobro. O número de docentes afectos à educação especial mantém-se. Se já nos anos anteriores este número de professores era insuficiente, este ano então não sei como será”, aponta, em declarações à Renascença, Ana Sesudo, presidente da APD.

De acordo com os dados avançados pelo “Jornal de Notícias”, há alunos com necessidades educativas especiais que só têm meia hora de apoio por semana.

”Não cabe na cabeça de ninguém que um aluno em fase escolar tenha apoio educativo apenas de meia hora, portanto a situação é ainda mais gravosa que nos anos anteriores”, critica ainda Ana Sesudo.