Transportes públicos. Falta de funcionários deixa por cobrar 85 mil multas

03 fev, 2015

Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos fala numa "situação incomportável" para funcionários e contribuintes.
Transportes públicos. Falta de funcionários deixa por cobrar 85 mil multas
Faltam, pelo menos, três mil funcionários para que a Autoridade Tributária e Aduaneira tenha capacidade para cobrar as multas em atraso nos transportes públicos.

O número foi avançado à Renascença pelo Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos (STI), após os dados divulgados, esta terça-feira, na imprensa. A estatística indica que há 85 mil multas por cobrar, o que equivale a mais de dez milhões de euros por recuperar.

De acordo com Paulo Ralha, do STI, um outro problema reside na incompatibilidade entre bases de dados, perturbação que o Governo prometeu resolver há mais de um ano. Contudo,  mesmo que essa falha estivesse resolvida, não haveria mãos suficientes, critica.

"Mesmo que houvesse compatibilidade entre os sistemas informáticos, não há recursos humanos suficientes para tramitar processos e para fazer o atendimento de todas as coimas que estão pendentes e, depois, o curso natural das coimas, que seguiriam para a Autoridade Tributária", diz.

Neste momento, os tempos de espera nos serviços rondam mais de duas horas. "Está-se a tornar numa situação incomportável, quer para os trabalhadores, quer para os contribuintes", sublinhou Paulo Ralha, acrescentando que o serviço de retaguarda está "completamente bloqueado, porque não há qualquer possibilidade humana de o fazer". 

Algumas empresas de transportes públicos estão a aceitar o pagamento voluntário das coimas, embora isso não seja permitido por lei.