|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

Reacções à nomeação de Carlos Moedas

10 set, 2014

Carlos Moedas, designado pelo Governo para integrar a nova Comissão Europeia, ficou com a pasta da Investigação, Inovação e Ciência. 

"Significa uma apreciação muito positiva do trabalho de Carlos Moedas, que é reconhecido pela União Europeia porque foi o quotidiano interlocutor da troika durante este período difícil que Portugal atravessou". "Parece-me muito significativo que a um país que não é obviamente uma das potências da União europeia tenha sido atribuída uma pasta tão importante como esta"Rui Machete, ministro dos Negócios Estrangeiros

“Portugal enviou para Bruxelas um comissário ortodoxo, quando a União Europeia precisa de mudança. Por isso, perdeu a oportunidade de ter uma pasta económica directa. Os socialistas fizeram sentir junto de responsáveis das instituições europeias que não era aceitável que um comissário com o perfil de Carlos Moedas ficasse numa área social”. Carlos Zorrinho, ex-presidente do Grupo Parlamentar do PS

É uma “muito boa notícia para a Europa e para Portugal, pois trata-se de uma pasta que constitui a verdadeira alavanca para o crescimento na Europa”. Com um orçamento de cerca de 80 mil milhões de euros para os próximos sete anos, a atribuição deste pelouro é “muito, muito bom, e um sinal de confiança no país”. Paulo Rangel, líder da delegação do PSD ao Parlamento Europeu

“Trata-se do reconhecimento das competências e da qualidade do engenheiro Carlos Moedas" e "trata-se também de um reconhecimento do acerto da escolha feita por Portugal e, em particular, pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. A atribuição de uma pasta com esta relevância e, repito, gerindo um envelope financeiro desta dimensão é a prova de que a escolha foi correcta”. José Matos Correia, vice-presidente do PSD

“A indicação do engenheiro Carlos Moedas resulta de uma boa negociação, tem futuro e tem fundos. São mais de 80 mil milhões de euros, mais do que o pacote financeiro de ajuda a Portugal”.  Nuno Melo, eurodeputado do CDS

"Além de não ser conhecido a Carlos Moedas qualquer pensamento e trabalho específico anterior nas áreas de investigação e ciência, foi atribuída a Carlos Moedas esta pasta, quando é um dos rostos do Governo que nas últimas décadas mais atacou a ciência e investigação, bem patente na asfixia financeira e material das universidades e laboratórios do Estado". João Ferrreira, líder da delegação do PCP ao Parlamento Europeu

"É uma péssima notícia para o povo europeu, porque facilmente se percebe que Carlos Moedas não tem quaisquer pergaminhos na área da educação e ciência". "Quais são os créditos de Carlos Moedas para ocupar a pasta da investigação e de educação? Não tem nenhuns créditos, nenhuma experiência na matéria, não há nenhum racional para ocupar esta pasta". Mariana Mortágua, deputada e dirigente do Bloco de Esquerda

[Actualizada às 17h42]