O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Fotogaleria

Manto de luz acolhe Francisco na Cova da Iria

13 mai, 2017 - 01:19 • Joana Bourgard

Francisco chegou de papamóvel, mas depressa se pôs a pé a descer pelo recinto do santuário coberto pelas luzes das velas dos peregrinos. Fez questão de cumprimentar de perto algumas pessoas e de abençoar uma imagem da Nossa Senhora. Francisco deixou claro que os cristãos devem ter devoção à mãe de Jesus, mas não a devem considerar uma “santinha a quem se recorre para obter favores a baixo preço”.
A+ / A-

Depois da chegada e da visita ao santuário às 18h00, o Papa regressou pouco depois das 21h00 e percorreu a pé o corredor central até à Capelinha das Aparições, cumprimentando os milhares de peregrinos reunidos no local.

Na chegada ao santuário, o Papa decidiu sair do papamóvel e caminhar pela avenida principal para cumprimentar peregrinos.


Uma peregrina pede a Papa Francisco para lhe abençoar uma imagem da Nossa Senhora de Fátima.

Os seguranças que acompanham o Papa têm indicação para deixarem Francisco cumprimentar as pessoas que os esperam.

Na chegada à capelinha, o Papa tocou pela terceira vez nos pés da imagem da Nossa Senhora, seguido por um momento de silêncio, que também aconteceu na primeira visita à Capelinha das Aparições.

A vigília do 13 de Maio começa com a bênção das velas, seguida da recitação do terço.

Numa saudação aos peregrinos, Francisco quis deixar claro que os cristãos devem ter devoção à mãe de Jesus, mas não a devem considerar maior nem melhor que Cristo nem uma “santinha a quem se recorre para obter favores a baixo preço”.

O Papa alertou para alguns perigos na devoção mariana e desafiou os católicos a serem, como Maria, sinal de Deus que sempre perdoa.

“Sempre que olhamos para Maria, voltamos a acreditar na força revolucionária da ternura e do carinho", disse Papa Francisco aos peregrinos.

O recinto do santuário é reconhecido pelos peregrinos como um local de paz e de esperança.

Centenas de grupos caminharam de vários pontos do país assistirem à celebração do centenário das aparições aos pastorinhos.

O terço foi rezado em cinco línguas ao longo de 40 minutos.

A procissão das velas é um dos momentos que chama mais peregrinos ao Santuário de Fátima.

Durante toda a vigília, o Papa permaneceu sentado, virado para a imagem da Nossa Senhora e de costas para os peregrinos. A coluna onde está colocada a imagem da Nossa Senhora de Fátima é o exacto local da azinheira onde Nossa Senhora apareceu aos pastorinhos.

Ao longo da semana que antecede o 13 de Maio, todas as noites há procissões das velas.

Padres assistem à chegada da imagem da Nossa Senhora ao Santuário.

A visita do Papa Francisco continua no sábado, com um encontro com o primeiro-ministro, de manhã, seguido de missa no Santuário às 10h00. Depois da missa o Papa almoça com os bispos portugueses. A cerimónia de despedida na base aérea de Monte Real e Francisco parte novamente para Roma às 15h00.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José Luz
    13 mai, 2017 LX 02:18
    Maria é a nova «Filha de Sião» a mãe da Igreja. Que intercede por nós junto do seu Filho. É a co-redentora da humanidade. Com todo o respaldo bíblico. O que quer Francisco ao criticar indirectamente a Irmã Lúcia?