O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|

Em directo. Governo apoia criação de comissão pedida por PSD. Identificados 43 corpos

21 jun, 2017 - 12:20 • Carlos Calaveiras , Dina Soares , Filipe d'Avillez , João Carlos Malta , Joana Bourgard , Cristina Nascimento , Inês Rocha , Ricardo Vieira , Ricardo Conceição , Catarina Santos , Marta Grosso , Teresa Abecasis , Raul Santos , Carla Caixinha , Pedro Rios , Maria João Cunha

Fogo em Pedrógão Grande fez 64 mortos. Ministra da Administração Interna admite que a Protecção Civil possa ter subvalorizado os avisos da meteorologia.
A+ / A-
A estrada mais negra

O que se sabe:

  • Há 64 mortos e 254 feridos a registar, sete dos quais graves
  • O fogo deflagrou ao início da tarde de sábado numa área florestal em Escalos Fundeiros, em Pedrógão Grande (distrito de Leiria), e alastrou aos municípios vizinhos de Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, também no distrito de Leiria, obrigando a evacuar povoações ou deixando-as isoladas. Desde então, as chamas chegaram aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.
  • O fogo provocou o maior número de vítimas mortais em incêndios florestais na história do país de que há registo. É o 11.º mais mortal no mundo desde 1900
  • Este incêndio já consumiu cerca de 26 mil hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.
  • O director nacional da Polícia Judiciária afirmou que o incêndio que deflagrou no sábado no concelho de Pedrógão Grande teve origem numa trovoada seca, afastando qualquer indício de origem criminosa
  • Linha para informações sobre vítimas e desaparecidos: 800 246 246

Veja também:


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Jaime Macedo
    22 jun, 2017 Lisboa 16:53
    Espero que o inquérito apure responsabilidades a montante como são os casos do SIRESP e da desregulação florestal que agravou o desordenamento. Ainda ontem o autarca de Castanheira de Pêra referiu que vão continuar a apostar no eucalipto por ser rentável... Estará à espera de solidariedade futura no próximo incêndio? Quando começaremos a encarar a floresta como um ecossistema e não como um negócio? É esta a educação ambiental do nosso povo e dos nossos políticos?
  • Bela
    22 jun, 2017 Coimbra 16:26
    A situações que são imprevisíveis...Mas, talvez se tivesse evitado tantas mortes se, fossemos educados e preparados para saber como proceder em determinadas circunstâncias. Há tanto programa sobre moda e outras futilidades e sobre algo mais especifico nada... Por vezes nas Tvs fala-se como proceder em caso de sismos, o resto fica esquecido. Quando as tragédias acontecem,aparecem os sabichões todos.
  • pela verdade
    22 jun, 2017 lisboa 16:16
    exige-se que atualizem o n.º de mortos e que parem de tentar esconder o real numero! foram encontrados 10 ingleses mortos em casa e não estão a ser contabilizados como vítimas. E há mais situações como esta! o n.º de mortos já deve atingir a centena! exige-se a verdade!
  • Bela
    22 jun, 2017 Coimbra 16:14
    O PS que está sempre, e nalguns casos com razão, a desancar no PSD, agora apoia o pedido de uma comissão que eles pretendem? Isso trás água no bico. Cá para será a forma de no futuro fugirem à responsabilidade das trágicas consequências do desgoverno em relação como foi gerido os incêndios d o Pedrogão Grande. Tristeza... afinal são todos iguais!
  • santos
    22 jun, 2017 coimbra 15:23
    Fico tão triste pelo fato destes políticos serem portugueses, preferia até que não fossem de pais algum, porque ninguém merece uma corja destas, mentirosos, falsos, sem pudor, sem vergonha! Demitam-se e tenham vergonha, assumam as vossas culpas!
  • Joaquim Oliveira
    22 jun, 2017 Rana 14:45
    Incêndios que se propagam a velocidades estonteantes; catástrofes naturais por todo o mundo; terramotos com epicentro até 10 Km de profundidade (Fracking) ... Para tudo isto e muito mais, encontram-se explicações na Internet em ''Chim Trails'' ou ''Rastos Químicos'' (Em português).
  • 22 jun, 2017 13:33
    Limpeza geral da incompetência, corruptos e ladrões deste povo é tão urgente como o 25 de Abril! Sugiro a rebelião popular!
  • 22 jun, 2017 12:33
    Muitas pessoas vem para fora das casas com a intencao de ajudar!
  • 22 jun, 2017 12:29
    Somos um pais tao pequeno que nao da para mentir!
  • nilton costa
    22 jun, 2017 mirandela 12:22
    Por todos os que sentiram os efeitos devastadores e desumanos tenho a lamentar ,nos portugueses somos um pais sofredor ,quando da para reparar que quem sofreu e continua a sofrer em breve ,se vai deixar de falar das vitimas ,tantos descontos que pago para isto agora foi um trovaõ ,talves seja culpa de nos todos em termos um dos pais com mais corruptos do mundo ,o que se roubado ,ao povo para esses do fato .talves daria para termos outros meios de defesa mas ,ainda votam neles somos bem otarios