Tensão no G7. Uma imagem vale mais do que mil tweets

09 jun, 2018 - 20:22

Fantasma de uma guerra comercial pairou sobre a cimeira. Uma fotografia publicada pelo gabinete da chanceler alemã captou momento de tensão no encontro do grupo das nações mais industrializadas.
A+ / A-

Os relatos das agências internacionais dão conta de um clima de tensão na cimeira do G7, que decorre em Charlevoix, no Canadá.

Uma fotografia publicada pelo gabinete da chanceler alemã captou um desses momentos no encontro do grupo das nações mais industrializadas.

A imagem mostra o Presidente norte-americano, Donald Trump, sentado numa cadeira, de braços cruzados, rodeado por outros líderes internacionais e as respetivas “entourages”.

À frente a Trump, de pé, com as mãos em cima de uma mesa, aparece a chanceler alemã, que olha fixamente para o Presidente dos EUA.

Ao lado de Angela Merkel estão o Presidente francês, Emmanuel Macron, e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

A fotografia não passou despercebida nas redes sociais. Há mesmo quem a compare com outra tirada durante a reunião de 2015, em que Merkel e Barack Obama foram os protagonistas.

A cimeira deste ano do G7 está a ser marcada pelo fantasma de uma guerra comercial entre os Estados Unidos e o resto do mundo.

Donald Trump avisou este domingo que será "um erro" o Canadá, o México e a União Europeia aplicarem taxas à importação de produtos norte-americanos, em retaliação pelas tarifas alfandegárias impostas pelos Estados Unidos sobre o aço e alumínio daqueles países.

"Se retaliarem, será um erro", asseverou o Presidente dos Estados Unidos em conferência de imprensa.

Depois de ter ameaçado parar as exportações dos Estados Unidos, especialmente no setor agrícola, para países que mantêm a aplicação de direitos aduaneiros a produtos norte-americanos, Donald Trump voltou a afirmar que o comércio global se tem "aproveitado" dos norte-americanos.

"Somos como o cofre que todo o mundo rouba", afirmou o Presidente do Estados Unidos, que viajou hoje para Singapura, onde, na terça-feira, encontra-se com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, para tentar um acordo de desnuclearização daquele país asiático.

Apesar de ter proferido o alerta de fechar as exportações a países que apliquem taxas aduaneiras, o chefe do Estado norte-americano assinalou que teve "grande relacionamento" com os restantes membros do G7 - Canadá, Alemanha, Japão, Itália, Reino Unido e França nesta cimeira.

O Presidente norte-americano revelou que propôs a reflexão dos outros seis países do grupo para a criação de uma zona de comércio livre, eliminando-se as tarifas, as barreiras aduaneiras e subsídios.

Trump revelou progressos para se conseguir um acordo no Tratado de Livre Comércio (NAFTA) com Canadá e México, argumentando que o resultado final levará a um melhor acordo comercial ou a pactos separados com os dois vizinhos dos Estados Unidos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.