A+ / A-
José Pereira

CA de Aveiro acusa: violência nos distritais resulta do exemplo dado pelos "grandes"

04 dez, 2017 - 12:45

"A culpa é de quem investe milhões e está a colher tostões", diz o presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Aveiro, que acusa Governo, FPF e Liga de conivência.
A+ / A-

O presidente do Conselho de Arbitragem (CA) de Aveiro, José Pereira, considera que a violência no futebol é culpa dos três "grandes", com a conivência do Governo, da Federação Portuguesa de Futebol e da Liga.

A acusação é feita, em Bola Branca, pelo presidente do CA do distrito onde se registou uma das três agressões a árbitros, no fim-de-semana.

Duas das ocorrências verificaram-se em campeonatos distritais de seniores: Leonardo Marques foi agredido no Beira-Mar-União de Lamas, em Aveiro, e Ricardo Lourenço no Casaínhos-União das Mercês, em Lisboa. A terceira ocorrência registou-se no distrito de Setúbal, num jogo de futebol de sete no escalão de "benjamins B", entre a Academia de Corroios e o Amora, em que Sílvio Luz, de 21 anos, foi agredido por um familiar de um jogador.

Em Bola Branca, José Pereira esclarece que o árbitro agredido, Leonardo Marques, está bem fisicamente, mas muito abalado emocionalmente, deixando uma acusação. Estas agressões acontecem nos Distritais como consequência das polémicas que rodeiam os campeonatos profissionais.

O presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Aveiro vai mais longe e aponta os culpados: os três "grandes", FC Porto, Sporting e Benfica que têm a conivência de quem nada faz, que na sua opinião são Governo, Federação Portuguesa de Futebol e Liga de Clubes:

"A culpa é de quem investe milhões e está a colher tostões. O grande problema é que vamos chegar ao final deste ano e, em vez de irem três equipas à Liga dos Campeões, só vão duas. Uma das 'grandes' vai ficar de fora. A culpa nunca vai ser dos plantéis e das direcções que eles têm, a culpa vai ser sempre dos árbitros", atira.

José Pereira considera que não tenham de "ser os árbitros a tomar posições de força" sobre o actual cenário de culpabilização. "Ou o Governo ou a Federação ou a Liga tomam de vez medidas sobre isto ou não sei que posição é que os árbitros vão ter de tomar, mas eu espero que não tenham de ser mesmo os árbitros a tomar esta posição", salienta.

Para José Pereira, o que acontece nos campeonatos profissionais acaba por ter reflexo nas provas distritais, em que a segurança é menor.

"Infelizmente, tudo o que se passa nos campeonatos profissionais é muito bonito e toda a gente assobia para o lado e acaba onde? Acaba aqui, onde temos menores condições de segurança, com outro tipo de adeptos, com os adeptos muito mais perto dos árbitros e depois os coitados temos de ser sempre nós, árbitros", acusa, garantindo que o organismo que representa "repudia e vai tomar medidas drásticas" sobre a violência no desporto. "O Leonardo [Marques] tem a nossa solidariedade e nós vamos ser os primeiros a tornar isto uma causa."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José Costa Valente
    04 dez, 2017 Viana do Castelo 19:05
    O presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Aveiro, José Pereira, tem razão quando considera que a violência no futebol, é o reflexo do que acontece nos jogos dos clubes profissionais, consequência das manifestações e polémicas que todos os dias ouvimos nos canais das televisões, principalmente por representantes dos três clubes chamados de "grandes". Quando um jovem Árbitro de 21 anos, é agredido por um familiar de um jogador do escalão de Benjamins, provavelmente, esse Árbitro poderá abandonar a sua curta carreira, e, estará aqui o motivo pelo qual existe tanta dificuldade em se manterem os novos árbitros.
  • fernando rebelo
    04 dez, 2017 bombarral 17:49
    A culpa e dos cubes dou uma solução acabem os clubes acabem com os adeptos e os espectadores que ainda vao ao futebol que assim os árbitros deixam de ter problemas não havendo jogos eles passam os 90 minutos totalmente descansados e ate podem errar a vontade
  • Isento
    04 dez, 2017 lisboa 16:38
    O problema é a falta de categoria dos árbitros, acompanho campeonato distrital de futebol jovem, e os desempenhos dos árbitros é péssimo para ambas as equipas, tenho observado situações arrogantes de árbitros para com miúdos de 12/13 anos, em vez de terem atitude pedagógica. Digo isto porque não só prejudicam a equipa do meu filho como também a beneficiam, quase todos os jogos há situações irreais que cada vez me levam mais a ter a certeza de que ser árbitro é um refúgio para se fazerem mais umas dezenas de euros ao fim de semana, e no final do mês se arrecadar umas centenas, não por se gostar de arbitrar ou de até ter jeito. É muito muito fraca a arbitragem, só quem acompanha todos os fins de semana pode ter a noção de que o futuro não é nada risonho porque não há qualidade nem sequer acompanhamento deste sector ao nível da formação e (semi)profissionalização. Este senhor em vez de criticar terceiros que diga o que tem feito para qualificar e motivar os árbitros a serem "árbitros". Falar e sacudir a água do capote para cima de outros é fácil, mas só o faz quem nunca nada fez!
  • FRANCISCO
    04 dez, 2017 ALBUFEIRA 16:30
    Os "padres" (árbitros) têm de rezar nas "missas"(jogos) por igual, somos todos filhos de Deus........ não é rezarem sempre para os mesmos (encarnados)..........
  • ANTÓNIO
    04 dez, 2017 PÓVOA DE VARZIM 16:22
    É verdade que, desde que existe o futebol, muitas vezes culpa-se, sem razão, a arbitragem pelos insucessos desportivos. Porém, também é verdade que, de há uns anos a esta parte, verificavam-se inúmeras atuações de árbitros, sempre a darem colinho sistemático ao mesmo clube, que não eram normais, via-se que havia qualquer coisa errada, e os emails dos "padres" só vieram confirmar o que eu já suspeitava há muito, ou seja, que o Benfica tem a arbitragem e o futebol completamente minados, controlados e conspurcados. Portanto, senhores árbitros, muita da culpa do estado atual do futebol é vossa, contribuiram e muito para isso, deixem de olhar para o nome dos clubes quando apitam, se têm 6 mil ou 6 milhões de adeptos, julguem por igual, dispam a camisola se forem adeptso dalgum clube que vão apitar, não prejudiquem deliberadamente ninguém e vão ver como o futebol melhora, as pessoas não andam a dormir...........
  • ADARCO
    04 dez, 2017 ARRIFANA 16:21
    ACEITAM-SE PATROCÍNIOS e apoios. Já angariámos 2.240 Euros. É necessário multiplicar pelo menos por 10 para realizar o objectivo Se quizer ajudar: IBANPT50 0035 0360 00071488900 70 ABERTURA DO MUNDIAL DE FUTEBOL 2018 DESDE O PORTUGAL PROFUNDO ATÉ AO ESTÁDIO LUZHNIKI, em Moscovo, https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/…/23509045_877054975… Rússia e Portugal ligados de bicicleta. Atravessar 11 países em 60 dias
  • RUI LEMOS
    04 dez, 2017 ESPINHO 16:05
    Concordo que, em certa medida, o presidente da Arbitragem de Aveiro tem razão, mas também lhe digo que se os árbitros/padres fossem mais honestos, mais imparciais, mais justos, se tivessem os "tomates" no sítio, não havia tanta roubalheira no futebol como tem havido(e o ultimo jogo F.C.Porto-Benfica é mais um exemplo disso, em que a arbitragem roubou descaradamente o F.C.Porto) e por isso diminuia a violência, pois este estado de coisas, ou seja, o controlo total do futebol e da arbitragem por parte do Benfica já dura há vários anos, tem sido uma coisa vergonhosa, descarada, mafiosa, corrupta, há que acabar com isto o mais rápido possível, para haver verdade desportiva.
  • Petervlg
    04 dez, 2017 Trofa 15:21
    Todos tem culpa, mas não se pode ficar sempre com os braços cruzados, jogos a porta fechada, perda de pontos e em ultimo caso irradiem as equipas, Os jogadores que fazem acontecer estes assuntos, que sejam irradiados do desporto. Só que para fazer isto é necessário coragem e no futebol actual ninguém tem coragem.
  • Pedro Silva
    04 dez, 2017 Feira 15:20
    Pois caro Pereira tu que és aqui da Feira sabes bem como se controla a favor deste ou daquele, e todos sabem que este ano talvez estejam a "trabalhar" para a subida do Lourosa e depois... não atirem areia aos olhos porque a V/ classe "prostitui-se" a troco de algo que não tem nada com o futebol dentro das 4 linhas. Manda uns mail`s!!!!
  • rib
    04 dez, 2017 PORTO 15:16
    A CA esqueceu-se da agressão do jogador do Benfica, naquele grande empurrão, ao árbitro na sexta à noite. O árbitro no fim até sorriu.