O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Professor inventa jogo que é alternativa ao desporto em dias chuvosos

03 dez, 2015 - 19:05 • Paula Costa Dias

O “Sporttable box” foi imaginado por um docente de Educação Física num dia em que estava impedido de dar aulas por causa do mau tempo. O objectivo é tirar os jogadores do sofá.
A+ / A-

Chama-se “Sporttable box” e é um jogo de tabuleiro que pretende “tirar” os jogadores do sofá. Foi criado pelo professor de educação física Gil Carpalhoso quando confrontado com o facto de não poder leccionar a disciplina no exterior da escola por estar a chover.

Agora, os alunos já podem fazer exercício físico dentro de uma sala de aula já.

A ideia surgiu em 2011, quando Gil Carpalhoso leccionava numa escola em Miraflores, Oeiras. Quando o inverno chegou, “os campos desportivos ficaram inundados com a chuva”, impedindo a prática de actividade física ao ar livre, explica o professor. Por isso “muitas das aulas perdiam-se porque o espaço destinado à turma era o exterior”.

A alternativa era ir para uma sala de aula onde não era praticável a actividade física. Aí surgiu a ideia “de criar um jogo que eu pudesse realizar dentro de uma sala de aula”. Ideia que foi reforçada quando soube que uma amiga, professora de música, também utilizava jogos na reabilitação física.

O Sporttable Box “tem desafios em que não se precisa de material e outros em que se usam bolas de esponja, para não danificarem o espaço envolvente e garantirem segurança”. O autor explica que “o tabuleiro tem três jogos, um que simula uma corrida de corta-mato, outro que simula um jogo colectivo e outro que simula o jogo da tracção da corda”.

Para progredir, salienta o professor, “é necessário fazer desafios reais de actividade física que estão divididos em quatro categorias: Força, destreza, mímica desportiva e velocidade”. Contudo “não são corridas”, ou não fosse este um jogo para jogar dentro de quatro paredes. E essa é a grande vantagem do Sporttable Box, “todos os desafios estão preparados para serem exequíveis num espaço pequeno”, como uma sala de aula.

Por isso, assume-se como “uma ferramenta de trabalho para o professor”, podendo também simplesmente ser jogado em família, com a vantagem de tirar as crianças e os adultos do sofá. Saltar, andar ao pé-coxinho e exercícios de pontaria são apenas algumas das tarefas propostas para um mínimo de dois e máximo de nove jogadores, incluindo crianças a partir dos oito anos – pois é preciso saber ler e fazer cálculos – e jovens e adultos sem limitação física.

Por enquanto estão no mercado apenas pouco mais de 2.500 exemplares, uma “edição de autor” em que Gil Carpalhoso investiu 20 mil euros. Em 2016, o professor tenciona sensibilizar as escolas para as vantagens do Sporttable Box.

Por agora, o jogo está à venda em livrarias e custa € 34,90.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.