A+ / A-

Cidadão Passos admite contribuir para ajudar lesados do BES

12 set, 2015 - 16:07

“Ninguém pode ser impedido de ver fazer justiça em tribunal por falta de recursos financeiros”, afirma primeiro-ministro no arranque da pré-campanha para as legislativas.
A+ / A-

O primeiro-ministro e líder do PSD, Pedro Passos Coelho, reafirma a disponibilidade para ajudar os lesados do BES a levar a tribunal “aqueles que os enganaram”.

A intenção tinha sido manifestada numa atribulada acção de campanha, este sábado de manhã, num mercado em Braga, e foi reforçada horas depois.

O primeiro-ministro reitera a sua disponibilidade para participar numa "subscrição pública" que cubra os custos do recurso aos tribunais por parte dos lesados do papel comercial.

“Ninguém pode ser impedido de ver fazer justiça em tribunal por falta de recursos financeiros. Mas, se porventura, existir dificuldade em organizar essa defesa, eu tenho a certeza de que o país não deixará, de uma forma solidária, de providenciar o necessário para que essa defesa se possa fazer”, disse Passos Coelho, em declarações à RTP.

Questionado se está disposto a lançar uma subscrição pública, respondeu: “Eu disse que seria o primeiro subscritor e contribuinte a título individual, não é como primeiro-ministro é como cidadão, para poder ajudar pessoas que se encontram em grandes dificuldades a ir a tribunal demandar aqueles que os enganaram”.

Na acção de campanha da manhã, houve momentos de grande tensão à entrada do mercado municipal de Braga, incluindo duas tentativas de agressão, travadas pela segurança pessoal de Passos Coelho.

O incidente fica a marcar, até ao momento, as acções de pré-campanha para as eleições legislativas de 4 de Outubro.

A caravana da coligação PSD/CDS seguiu depois para Barcelos, onde Passos Coelho acusou o PS de não ter negociado a reforma da Segurança Social por medo das eleições e de querer fazer "experiências perigosas" ao ir buscar dinheiro aquele sistema para estimular o consumo.

Num almoço para assinalar o primeiro dia de pré-campanha, questionou o PS sobre se "não aprendeu nada" com o passado e reafirmou a necessidade de reformar a Segurança Social para que as pensões atuais e futuras sejam pagas sem que o pais tenha que pedir "mais um resgate".


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • rosinda
    12 set, 2015 palmela 22:23
    a pouco ouvi jeronimo de sousa na radio criticar o governo!Devemos criticar mas devemos apontar saidas!
  • Pedro
    12 set, 2015 Beja 22:01
    Oh João de Viseu, e que dizer de quem investiu depois de Cavaco garantir a solidez do BES???? Pena o tipo a quem o Passos concessionou a TAP não correr esses mesmos riscos...
  • Eu fico atónita com certos comentários
    12 set, 2015 Lisboa 21:31
    Eu leio comentários que não entendo. As pessoas colocaram o seu dinheiro num banco privado, assumindo os riscos inerentes e sem que ninguém lhes apontasse nenhuma arma. Infelizmente, foram enganadas. E agora é o Governo que tem de lhes resolver o problema? Avancem com acções judiciais. O impulso processual tem de ser dos próprios lesados. Insultam e tentam agredir o Primeiro Ministro a título de quê? Muito boa índole tem Passos Coelho. Quem o tentou agredir deveria ser imediatamente detido e presente em Tribunal. Está tudo doido? Foi culpa do PM o colapso do BES? Desde quando?
  • João
    12 set, 2015 Viseu 18:59
    Os lesados devem ir para tribunal ou então irem a casa do Salgado pedir contas! Quem investe tem sempre riscos...
  • euripedes sousa
    12 set, 2015 Covilha 17:53
    promessas de passos coelho? valem tanto como viola em enterro. mentiroso!
  • Portas
    12 set, 2015 Travessas 17:15
    A obrigação dele não é ajudar é resolver, e já! Não tem que empurrar os problemas para o próximo desgoverno! De uma coisa não se livra, com esta coisa do "Novo BPN" (sim não me enganei) o défice ficará acima dos 7% e os prejuízos para os contribuintes pagarem será na ordem dos milhares de milhões de €uros!
  • Pedro
    12 set, 2015 Beja 17:03
    E eu a pensar que essa era uma obrigação do MINISTÉRIO DA JUSTICA??? O direito à justiça está na Constituição. Agora vem o primeiro-mentiroso com mais uma patranha para as TVs. O que vale é que vai durar pouco mais.