O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Sporting

Abrantes Mendes quer explicações. "Ser presidente de um clube não é nenhuma criancice"

05 jun, 2015

Ex-candidato à presidência do Sporting, que chegou a apoiar Bruno de Carvalho, exige esclarecimentos quanto ao despedimento por justa causa de Marco Silva, duvida da unanimidade da decisão no seio da direcção leonina e questiona ética de Jorge Jesus. Tudo em entrevista a Bola Branca. 
Abrantes Mendes quer explicações. "Ser presidente de um clube não é nenhuma criancice"
Sérgio Abrantes Mendes pede esclarecimentos a Bruno de Carvalho, em entrevista a Bola Branca, sobre o conturbado processo que redundou no despedimento de Marco Silva por justa causa e na contratação de Jorge Jesus para o comando técnico da equipa.

O ex-candidato à presidência do Sporting, que desistiu da última corrida eleitoral em favor do actual líder verde e branco, tem sérias dúvidas sobre a unanimidade, no seio da direcção leonina, da controversa decisão de despedir o até agora treinador leonino e apela à responsabilidade de Bruno de Carvalho.

"O que eu gostaria de saber é se a direcção do Sporting e os corpos sociais do Sporting estão solidários com esta atitude. Tenho algumas dúvidas, sinceramente, porque conheço um conjunto de pessoas dentro dos órgãos sociais do Sporting e sinceramente, com a ideia que tenho acerca dessas pessoas, não estou a ver algumas delas a subscrever este tipo de actuação", frisa.

Mesmo não se mostrando surpreendido com a saída de Marco Silva -  "desde há meses a esta parte, isto era a crónica de uma demissão anunciada", refere - a questão que incomoda o jurista passa pela forma do desenlace de todo o processo. Nesse sentido, Abrantes Mendes recorda a Bruno de Carvalho que a gestão de um clube carece de "responsabilidades enormes" e não de "atitudes de crianças".

"O Sporting terá os seus advogados, que dão a sua opinião ao presidente e à direcção do clube. Não estamos a falar de atitudes de crianças, de jovenzinhos. Quem é presidente de um clube, tem responsabilidades enormes, não só perante o clube mas também perante a massa associativa. Isto não é nenhuma criancice nem nenhuma garotada. Isto são coisas de enorme responsabilidade", sustenta.

A ética [ou falta dela] de Jorge Jesus
Sérgio Abrantes Mendes é, actualmente, o Provedor da Ética no Desporto. Nesse sentido, terá Jorge Jesus incorrido nalguma falta de princípios basilares e de regras básicas de convivência? Abrantes Mendes julga que sim, mas não aponta o dedo somente ao treinador que troca o Benfica pelo rival lisboeta.

"Se estivesse no lugar de Jorge Jesus - se é que ele não o fez -, antes de assumir qualquer compromisso com o Sporting, teria sempre uma palavra com o Marco Silva, para me justificar, ou para tentar saber em que ponto se encontrava toda a situação. Mas o que leva o Sporting a rescindir com Marco Silva e a contratar Jorge Jesus? Ainda estou à espera, como sócio do Sporting, de receber essas explicações do presidente ou da Direcção do clube", reforça.

Excesso de "litigiosidade" preocupa Abrantes Mendes
Num outro prisma, há uma preocupação que não sai da mente do ex-candidato à presidência dos leões. Sérgio Abrantes Mendes recorda os diferendos com a Doyen, o conturbado processo da edificação do Pavilhão João Rocha e, agora, o despedimento de Marco Silva para lamentar o avolumar de litígios em que o Sporting está envolvido.

"Começo a ficar preocupado com o índice de litigiosidade que o Sporting vem manifestando. É a Doyen, é o pavilhão, agora é o Marco Silva. E o que se vai seguir. Começo a ficar muito, muito preocupado", completa.

O Sporting anunciou o despedimento de Marco Silva, por justa causa, na tarde de quinta-feira. O treinador, de 37 anos, sai de Alvalade depois de uma época que finalizou com a conquista da Taça de Portugal, dando lugar a Jorge Jesus. O técnico, de 60 anos, troca o bicampeão nacional Benfica pelos leões e assina um contrato de três temporadas.