O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
Sporting

Ricardo Costa não percebe opção Ewerton

29 jan, 2015

Apresentado no PAOK, o internacional português diz que o Sporting é passado. "Foi opção deles", refere, em entrevista a Bola Branca. Ricardo Costa deseja "boa sorte" a Ewerton.

Ricardo Costa ainda não percebeu o que o Sporting pretende com a contratação de Ewerton, defesa que está parado desde Setembro e que só estará apto para ir a jogo dentro de um mês.

O central português, que esteve nos planos do Sporting, elogia Ewerton mas remete para os responsáveis leoninos as respostas relativamente à opção sobre o brasileiro em detrimento de si próprio.

"Não sei o que o Sporting pretende com a aquisição desse jogador [Ewerton]. É um excelente jogador, que fez um bom trabalho em Braga. Foi uma escolha das pessoas do Sporting e eles é que têm de explicar o porquê das suas opções. Não sei o que se passou para estar tanto tempo parado, mas vem aí uma fase decisiva da época para a equipa e... desejo-lhes muita sorte na conquista dos seus objectivos", atira, em entrevista a Bola Branca.

Sporting é passado. Segue-se o PAOK
Com 14 títulos oficiais no currículo, Ricardo Costa, de 33 anos, assinou pelos gregos do PAOK, depois de ter alinhado no Al-Sailiya do Catar.

Formado no Boavista, Ricardo Costa representou FC Porto, Wolfsburgo, Lille e Valência, antes da opção Qatar, no último Verão. Segue-se o clube de Salónica,  segundo classificado da Liga Grega, a dois pontos do líder Olympiakos, a equipa de Vítor Pereira.

Ricardo Costa aconselhou-se com os portugueses que representam - ou representaram - o PAOK, antes de assinar pelo clube grego.

"Telefonei para pessoas que estiveram cá e as referências foram as melhores. O projecto do PAOK é ambicioso e quis, desde logo, fazer parte dele. Ter ouvido algumas opiniões foi muito importante para mim", refere, explicando a decisão de sair do Qatar e referindo que continua a ambicionar regressar à Selecção Nacional.

"Prescindi de muita coisa ao sair do Qatar. Mas pensei no capítulo desportivo porque o meu objectivo é voltar à Selecção. O PAOK é um clube grande, que luta pelo título na Grécia e que ambiciona estar na Liga dos Campeões. Agora, a escolha vai caber a Fernando Santos", completa.