Da Capa à Contracapa
Os grandes temas da actualidade em debate aos sábados, às 9h30. Uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.
A+ / A-
Arquivo
Da Capa à Contracapa - Em que pé está a igualdade? - 30/09/2017
Da Capa à Contracapa - Em que pé está a igualdade? - 30/09/2017

Da capa à contracapa

Em que pé está a igualdade?

30 set, 2017


Num programa em directo do Teatro Nacional de São Carlos, onde acontece este sábado o encontro anual da Fundação Francisco Manuel dos Santos, os economistas Susana Peralta e Fernando Alexandre debatem “Em que pé está a igualdade? Impactos, Desafios e Conflitos”.

A desigualdade está hoje no centro do debate político e económico. A globalização e as tecnologias estão a mudar a natureza das desigualdades, criando uma sociedade com “ganhadores” e “perdedores”, uns mais e os outros menos adaptados às rápidas mudanças.

O populismo cresce neste ambiente de transformação económica, que diminui a mobilidade social e tem enfraquecido a esperança de muitos num futuro melhor.

Foram necessários séculos de lutas, conflitos sociais e revoluções para que todas as pessoas se tornassem iguais perante a lei. Ainda assim, muito está por fazer: no Ocidente, os rendimentos e a riqueza continuam a ser distribuídos de forma desigual e teme-se pela estabilidade das sociedades.

Neste século XXI, as desigualdades geram inquietação e põem em causa a ambição de se viver numa sociedade mais justa, uma aspiração que foi motor das democracias no século XX.

Este sábado, o jornalista José Pedro Frazão modera o programa onde os convidados são a economista Susana Peralta, coordenadora da área científica do Desenvolvimento Económico da Fundação Francisco Manuel dos Santos, e o Prof. Fernando Alexandre, também economista e consultor científico do encontro deste sábado no Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.