O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Nota de Abertura
A+ / A-

Quem se abstém protege os piores

19 set, 2017 • Opinião de Nota de Abertura


Trata-se de um bom repto também para Portugal, no momento em que se aproximam as eleições autárquicas.

No início desta semana, o Papa Francisco pediu aos cristãos que rezem pelos seus governantes. “Não os podemos deixar sozinhos”, diz o Papa, sublinhando que são precisamente aqueles que pior fazem que mais precisam de orações.

Trata-se de um bom repto também para Portugal, no momento em que se aproximam as eleições autárquicas.

Durante os próximos dias, os candidatos vão dar o seu melhor para convencer os eleitores a neles votarem, no próximo dia 1 de Outubro.

Dar o seu melhor é mesmo o que se pede aos candidatos. Que ofereçam esperança, traduzida em soluções concretas e inovadoras, para problemas sérios que as populações enfrentam. E que se abstenham de entrar pela baixa política que degrada o espaço público e a qualidade da democracia.

Os meios de comunicação também devem ajudar, procurando o esclarecimento, ainda que difícil, e combatendo a desinformação, ainda que mais fácil.

E aos eleitores, mesmo que desiludidos e descontentes, apela-se a que não desistam de participar. Que façam a diferença. E que votem.

Quem se abstém protege os piores. A abstenção não é remédio para nada: agrava a desilusão e acaba por nos derrotar a todos nós.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Jorge
    19 set, 2017 Seixal 17:36
    Para Julio,19 set, 2017 Vila Verde . Votar é um dever cívico, independentemente de ter alguma cor politica. Na sua opinião são todos ladrões e aldrabões, então vote em branco ou anule o voto e cumpra o seu dever de cidadão.
  • JULIO
    19 set, 2017 vila verde 15:11
    Que grande aldrabice se eu tivesse em qem votar eu votava eleger aldrabõs e ladrões isso não NUNCA
  • No país da diversão
    19 set, 2017 Lisboa 10:57
    No país da diversão vale quase tudo para desviar a atenção do essencial e manipular as pessoas. Este país tem problemas graves como falar-se em quase tudo o que não interessa e não se falar no essencial. São as chamadas manobras de diversão. Estes são alguns dos problemas graves que temos: (1) Má qualidade da democracia, temos poderes eleitos fracos e poderes não eleitos fortes e em geral não querem que se fale nisto para as pessoas não saberem. (2) Violação de direitos humanos e falta de proteção aos mais fracos. (3) Abusos e opacidade em alguns poderes porque funcionam sem controlo nem transparência, isto com a cumplicidade da comunicação social/imprensa que está mais preocupada em divertir o povo. (4) Censura e diversão constantes na imprensa. De facto quem se abstém protege os piores e a imprensa devia pensar nisso quando pratica a censura e ignora os mais fracos. (5) Não se pode comentar o que alguns poderes fazem, o que faz lembrar o tempo da ditadura. (6) Comportamento em "manada", pouca cultura do povo que em geral só se une onde haja "circo", "dividir para reinar". Para terminar, não sei se alguns percebem o que eu disse, "circo" é muito mais interessante! E o pior cego é aquele que não quer ver!