O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

​Outra nota negativa

14 set, 2017 • Opinião de Ribeiro Cristovão


O Benfica já fora arrumado pelos russos do CSKA. Mas a exibição dos portistas, apenas convincente em curtos períodos do jogo, deixou à vista carências.

Só o Sporting merece nota alta no apanhado rápido que pode fazer-se da estreia das equipas portuguesas na Liga dos Campeões.

O Benfica já fora arrumado pelos russos do CSKA, num desafio em que se esperava que pudesse ter feito bem melhor, seguiu-se-lhe o Futebol Clube do Porto, que ontem à noite, no Dragão, permitiu que pela primeira vez uma equipa turca saísse de Portugal com três pontos.

Mas não foi apenas isso. A exibição dos portistas, apenas convincente em curtos períodos do jogo, deixou à vista carências que permitem reforçar a ideia já expressa por alguns segundo a qual há, na Invicta, equipa, ou plantel se assim entenderem mais adequado, para consumo doméstico, mas que deixa escassas perspectivas de que possa voar com sucesso por essa Europa fora.

Constituído por alguns jogadores de grande valia, num lote em que é justo enquadrar Quaresma, Pepe e Talisca, o Besiktas parecia trazer a lição bem estudada para atirar os portistas ao tapete. Preenchendo bem todos os espaços do campo, e procurar ser objectivo ofensivamente, a equipa turca nunca permitiu ao vice-campeão português embalar no sonho de que poderia arrancar na Champions com uma vitória.

No Futebol Clube do Porto a “novidade” chamou-se sector defensivo.

Rodeado de hossanas nas suas prestações nacionais, e com toda a justiça acentue-se, não foi capaz de manter essa coesão e eficácia frente ao seu adversário de ontem à noite.

Razões: uma em especial, a grande qualidade dos movimentos ofensivos do Besiktas, que colocaram os portistas muitas vezes em palpos de aranha.

Não vale a pena falar do ranking da UEFA, porque aí mais uma vez saímos a perder.

A preciosa vitória do Sporting no dia anterior frente aos gregos, sendo importante não chega para fazer sonhar com uma ultrapassagem à Rússia na tabela.

E se assim continuarmos, a escalada descendente poderá tornar-se ainda mais perigosa.

Artigos AnterioresRibeiro Cristovão
 

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José Armando
    14 set, 2017 Leiria 14:35
    Qual o clube português responsável pela ultrapassagem russa? Três letrinhas: SCP. E já agora conviria que os sportinguistas se mantivessem calmos, estes gregos são muito fraquinhos. A descida do ranking reflete, tão somente, a fraude competitiva que é a Liga portuguesa. Quanto ao meu Benfica, o estimado Ribeiro Cristóvão terá lido ou ouvido uma afirmação do seu presidente LFV e que resumo: "os objetivos desportivos não podem colocar em causa a estratégia financeira do clube". O FCP foi forçado, não por estratégia, a fazer ainda mais, o resultado é, provavelmente, a mais fraca das suas equipas nos últimos 30 anos, muito semelhante ao que sobrou depois da debandada pós 2004. No SLB não há milagres ou petróleo africano, existe uma preocupação com a sustentabilidade futura do clube. Curiiosamente é o clube que há quatro anos viu a ruinosa gestão ser premiada com uma "reestruturação" da dívida, é o clube que mais investe e gasta na proporção das suas receitas correntes, cerca de 95 milhões ( 30 em passes e 65 M com despesas com o pessoal), quando as receitas não extraordinárias não cobrem 80% dessas despesas, não faz favor nenhum ganhar a um fraco Olympiakos, crónico campeão do seu país. Nada que me preocupe, o futebol português vai cair, em breve, no mesmo patamar da Holanda e Bélgica, países formadores, apesar de mais ricos. O ranking? Tenhamos juízo, isso foi chão que já deu uvas, geralmente descer é mais fácil que subir. Cumprimentos..
  • De Cabeça
    14 set, 2017 lisboa 09:58
    Como a preocupação é o Ranking, vamos torcer pelo Braga que vencendo continua dois lugares à frente do SCP. Mas mesmo assim, cerca de 40 posições atrasados face a SLB e FCP que integram a elite europeia (ambos no TOP15)