O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
Nota de Abertura
A+ / A-
​Nota de Abertura

D. António Francisco, um verdadeiro discípulo de Jesus

11 set, 2017 • Opinião de Nota de Abertura


A morte de D. António Francisco é um tempo de uma tristeza contida.
D. António Francisco dos Santos. O bispo do diálogo e "sem planos prévios"

D. António Francisco dos Santos nasceu em Tendais, Cinfães. Licenciado em Filosofia, foi em Paris que concluiu os seus estudos, com mestrado em Filosofia Contemporânea e Diplomado em Sociologia Religiosa.

Em 1971, como diácono, fez o Estágio Pastoral na paróquia de S. João Baptista na Vila de S. João da Pesqueira. Foi o início de uma vida totalmente dedicada à Igreja, tendo sido bispo auxiliar de Braga, bispo de Aveiro e bispo do Porto.

No passado sábado, D. António Francisco dos Santos, presidiu à peregrinação da diocese do Porto a Fátima e lembrar a sua última homilia é rever a sua extraordinária presença na vida da Igreja em Portugal.

Disse-nos D. António Francisco: "Não podemos viver distantes dos dramas humanos nem ficar insensíveis aos seus clamores e indiferentes aos seus desafios. É preciso viver a imensa experiência de ser povo, a experiência de pertencer a um povo. Temos de entrar em contacto com a vida concreta dos outros e manifestar a força da ternura e da bondade de Deus."

E falando da dimensão pastoral em tudo o que fazia, as suas palavras foram quase proféticas: "O caminho pastoral não se encerra em nenhum lugar. Também a missão não termina aqui nem agora. Este é, apenas, o início de uma nova etapa de caminho nos desafios por Deus semeados no íntimo da vida de cada um de nós, na alma de cada comunidade cristã e na força dos testemunhos apostólicos que nos dizem que há por toda diocese dinamismo e vigor, iniciativas e propostas de uma fé professada, celebrada, vivida, testemunhada e anunciada com alegria."

A morte de D. António Francisco é um tempo de uma tristeza contida porque, se por um lado, sentimos a falta do homem bom, simples, profundo, próximo, verdadeiro discípulo de Jesus na nossa terra, por outro, é o tempo da alegria e da esperança, na certeza da eternidade que nos coloca face a face com Deus. Assim está D. António Francisco dos Santos, bispo do Porto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.