Nota de Abertura
A+ / A-

150 anos da PSP

14 jul, 2017 • Opinião de Nota de Abertura


Conhecendo a totalidade das atribuições da PSP e das suas missões específicas, dificilmente ficaremos indiferentes ao trabalho destes homens e mulheres que honram qualquer povo, qualquer país.

A Policia de Segurança Publica celebra 150 anos de serviço aos Portugueses, em território nacional e internacional.

Num tempo em que estamos - e bem - particularmente atentos às falhas cometidas por outros, aos erros de programação, gestão e controle dos serviços de carácter publico e privado, que a todos afectam; num tempo em que palavras como ordem, honra, serviço, soam a algo distante e tantas vezes ultrapassado; num tempo em quem a juventude aparece quando falamos de estatísticas desastrosas sobre primeiros empregos ou festivais de Verão superlotados; num tempo em que erros graves podem ter sido cometidos...

Neste tempo, 287 homens e mulheres acabam de fazer o seu juramento, como polícias de segurança pública, comprometendo-se a servir Portugal de uma forma tão exigente e tão diversa como: defender os cidadãos, policiar 95% das zonas urbanas sensíveis existentes em território nacional ou assegurar a protecção dos órgãos de soberania e das instalações diplomáticas ou assumir a gestão dos centros operacionais da linha nacional de emergência 112…

Conhecendo a totalidade das atribuições da PSP e das suas missões específicas, dificilmente ficaremos indiferentes ao trabalho destes homens e mulheres que honram qualquer povo, qualquer país. Mas falamos de Portugal e todas as palavras são poucas para continuar a defender quem nos defende, a honrar quem nos honra e a agradecer a quem assim nos serve.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Emanuel Teixeira
    14 jul, 2017 Sintra 11:14
    Até pode ser coincidência... mas tendo em conta o posicionamento da Igreja Católica sobre o racismo, e notícia desta semana relativamente à esquadra da PSP acusada de racismo, este editorial soa a legitimação e a incentivo para a PSP prosseguir nesta senda de perseguição racial!