O Mundo em Três Dimensões
Números que contam histórias de segunda a sexta-feira (05h40, 17h50 e 21h05).
A+ / A-
Arquivo
O Mundo em Três Dimensões - Natalidade Portugal-UE - 12/07/2017
O Mundo em Três Dimensões - Natalidade Portugal-UE - 12/07/2017

O Mundo em Três Dimensões

Portugal é vice-campeão europeu da baixa natalidade

12 jul, 2017 • André Rodrigues , Paulo Teixeira (sonorização)


Dados do Eurostat conhecidos esta semana confirmam que Portugal é o segundo país da União Europeia onde nascem menos bebés por cada 1.000 habitantes. Pior do que nós, só a Itália.

2017 pode muito bem ser o ano em que a taxa de natalidade volta a descer em Portugal. Na última semana, o Jornal de Noticias dizia que estavam a nascer menos seis bebés por dia no nosso país.

Mas a verdade é que a tendência tem sido de subida desde 2014: nesse ano nasceram 82.367 bebés em Portugal. Em 2015 foram 85.500. E no ano passado, 87.126.

Mesmo assim, Portugal foi o segundo país da União Europeia (UE) onde nasceram menos crianças em 2016. Só que o problema não se resume ao facto de nascerem menos crianças: somos um dos 28 estados-membros da União Europeia onde a população mais diminuiu. De acordo com o Eurostat, os nascimentos não compensaram as mortes.

O gabinete de estatísticas oficiais da UE revela que nasceram em Portugal apenas 8,4 bebés por cada 1.000 habitantes.

Pior só mesmo a Itália com 7,8 bebés por 1.000 residentes. Mas voltemos a nós: em Abril, o Instituto Nacional de Estatística previa que Portugal terá apenas 7,5 milhões de habitantes em 2080. Menos 3 milhões do que actualmente.

O país terá apenas 900 mil jovens com menos de 15 anos. E idosos serão perto de 3 milhões.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.