O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Centeno prevê crescimento acima de 3% no segundo trimestre

24 mai, 2017


O ministro das Finanças defende, em entrevista à Reuters, que o crescimento económico português pode ficar acima da previsão oficial do Governo. Centeno antevê que o ano de 2017 feche com um crescimento acima de 2% .
Centeno prevê crescimento acima de 3% no segundo trimestre
Centeno prevê crescimento acima de 3% no segundo trimestre

O ministro das Finanças, Mário Centeno, acredita que a economia portuguesa possa crescer mais do que 3% no segundo trimestre do ano.

“[Admito que] O crescimento do segundo trimestre em termos homólogos venha a ser superior a 3%, dada a aceleração que estamos a assistir na economia”, afirma Mário Centeno em entrevista exclusiva à agência Reuters.

O governante também manifesta confiança que a economia cresça acima de 2% no total do ano de 2017. As previsões oficiais do Governo português ficavam pelos 1.8% para este ano, mas nos últimos dias o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse na Croácia que, no melhor cenário, esse valor podia chegar aos 3,2%.

“O discurso do Governo é que o crescimento económico é forte e sustentado, e que está a crescer”, deixou claro o ministro português.

Nesta entrevista divulgada no dia em que foi comparado pelo ministro alemão das Finanças a Cristiano Ronaldo, Mário Centeno destacou o facto de Portugal estar, "finalmente" a recuperar terreno em relação à Europa.

“Nós estamos finalmente a convergir [com a União Europeia]. Os números de convergência do primeiro trimestre são enormes. Nós crescemos mais de dois terços em termos de PIB do que a UE. Isso é um valor muito significativo e antecipamos que essa tendência de convergência se mantenha ao longo de todo o ano de 2017 e o desejo de todos é que ela se possa prolongar por 2018”, declarou.

O governante deixa ainda uma mensagem aos mercados e aos investidores: o crescimento português é sustentável porque está a ser alimentado, sobretudo, pelas exportações.

"Nós consideramos que para actividade económica, aquilo que o Governo deve dizer e insistir em termos de mensagem é: há uma aceleração da actividade, essa aceleração está sustentada em exportações e investimento, é portanto algo que tem condições para permanecer durante vários trimestres."

Mário Centeno tem-se desdobrado em entrevistas a meios de comunicação económicos a propósito da saída do procedimento por défice excessivo decidida por Bruxelas. Ontem, à Bloomberg TV, Mário Centeno defendeu que não ia rever em alta as projecções do governo, mas admitiu estar à espera de “números melhores do que esperado”.

Com uma das economias a registar menor taxa de crescimento económico nos últimos anos, e depois de uma crise económica e financeira que atingiu o país a partir de 2008, as notícias do crescimento da economia portuguesa têm superado todas as expectativas dos analistas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • rm
    25 mai, 2017 00:10
    Em 28 paises da UE, Portugal é o 11º país mais pobre deste grupo, bem abaixo da media europeia.
  • Francisco Torres
    24 mai, 2017 Viana do Castelo 18:12
    A ser verdade é realmente uma boa noticia e estará este governo de parabéns. Mas e reportando-me a outro bom aluno, falando obviamente de Guterres, ao final de 6 anos a ruina e a crueza dos números surgiram, com o descalabro que todos sabemos.