A+ / A-
Notícia Renascença

Santuário de Fátima terá blocos de betão para evitar atentados com veículos

03 mai, 2017 • Maria João Costa


Autoridades vão colocar barreiras para evitar que ataques terroristas como os de Nice, Berlim e Estocolmo se repitam.

Pela primeira vez, o Santuário de Fátima terá blocos de betão nas ruas para evitar atentados com recurso a veículos, como os de Nice, Berlim e Estocolmo. A informação foi dada à Renascença pelo presidente da Junta de Freguesia de Fátima, Humberto Silva.

A expectativa da presença de mais de um milhão de pessoas em Fátima, devido ao centenário das aparições e à visita do Papa Francisco, e a importância do acontecimento justificam redobradas cuidados de segurança, incluindo, pela primeira vez, a instalação de barreiras físicas.

“Estamos numa operação diferente, é uma peregrinação diferente. Com os casos que têm acontecido por esse mundo fora, tem de haver mais cuidado e rigor. Já é o quarto Papa que recebo na minha terra. É a primeira vez que vamos usar ‘new jerseys’ [blocos em cimento] em vários pontos fulcrais da cidade”, anuncia o autarca.

Humberto Silva diz que não revelará onde estarão colocadas, mas avança que “vai haver barras em cimento para não acontecerem casos como os de Nice”. Os blocos ainda não começaram a ser colocados.

Em Abril, Estocolmo (Suécia) foi palco de um atentado terrorista com recurso a um camião. Foi o quarto grande ataque deste género que se registou na Europa nos últimos nove meses, depois de Nice, Berlim ou Londres (em que foi usado um jipe).

Em Novembro de 2016, a “Rumiyah”, a revista oficial do autoproclamado Estado Islâmico, incluiu um guia sobre como usar veículos como armas e apelou à sua utilização em países ocidentais.

Muitas dúvidas dos locais

Nestes dias, o telefone de Humberto Silva não tem parado com as dúvidas de quem vive ou trabalha em Fátima. Todos querem perceber como vão circular e garantir o abastecimento do comércio local nos dias da visita do Papa Francisco.

“Já fizemos duas sessões de esclarecimento no salão paroquial. Convidámos primeiro quem tem comércio e restauração. Tivemos casa cheia. Na segunda vez, passados dez dias, convidámos toda a população. Tivemos novamente casa cheia”, revela.

O presidente da Junta de Freguesia de Fátima diz que há um clima de ansiedade. “Prevê-se a vinda de um milhão de pessoas, o que, numa cidade que só tem 17 hectares, não é fácil. Os moradores e quem tem cá os seus comércios estão um pouco ansiosos, por causa dos funcionários e do estacionamento dos carros”, argumenta.

Em relação aos transportes dentro da cidade, “há uma linha de ‘transfers’ montada”. “São 83 autocarros que vão andar permanentemente a circular em várias artérias da freguesia e que vão ter a dois pontos fulcrais do centro da cidade. Não se paga nada. As pessoas podem deixar os carros estacionados a quatro ou a seis quilómetros. Vêm no autocarro de manhã, podem voltar à tarde. Há autocarros sempre a passar”, remata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • uomem
    04 mai, 2017 lisbon 21:55
    Cada autocarro que vai circular , deve levar no interior um policia a paisana . terroristas podem entrar dentro do autocarro e tomar o comando do mesmo .
  • José Guimarães
    04 mai, 2017 Valongo 15:41
    Considero estas medidas de precaução e de segurança, muito bem pensadas e oportunas. É um local de culto e Sagrado, mas os demónios são muitos, por todo o mundo. Era impensável o que está acontecer nestes chamados tempos modernos, onde se verificou um enorme avanço tecnológico, que arrastou o fenómeno do desemprego, da marginalidade, da insegurança, da má educação, da pedofilia e da corrupção. Por outro lado, os mentores das "malditas" redes sociais, para além se fomentar a desgraça, transformou-se numa gigantesca máquina de fazer dinheiro fácil. Houve esse referido avanço tecnológico, mas em contrapartida, a indiferença, a mentira, o ódio, a vingança e tudo de mau que se possa imaginar.
  • Bento da Conceição
    03 mai, 2017 Taquáras 21:27
    Jesus ao ultimo Papa "Sabe Meu filho Pedro II, agora, que já está chegando o fim dos tempos, serão bem poucos aqueles que passarão para a Vida Eterna. Vê que foi dito: nem todos os que baterão no peito Me dizendo “Senhor, Senhor” serão salvos. Todas as igrejas que vêm mantendo tudo como foi escrito já não serão mais julgadas, mas todas as igrejas que vêm fazendo o que não devem, por si já estão julgadas. Meu Santo Nome tem que estar acima de tudo, como o altar. Este lugar é sagrado. Quem Me tirou do Meu lugar foram aqueles que Me mandaram crucificar, e que agora está acontecendo o mesmo. Eu Sou pisoteado milhões de vezes por dia. Antes foram os braços que Me levaram a morte, agora são os pés que vêm pisoteando as partículas que caem no chão, e além disso já não Sou mais considerado como o único Rei, por acharem que não mereço que dobrem os joelhos na Minha frente. Todos os Meus Anjos já sabem onde me honram, como aqui e em poucos lugares. Para que possam ter vida eterna devem fazer a Minha Vontade e não a de padres ou de bispos. São eles que por terem estudo pensam que podem mudar as Minhas Leis. Por isso, Meus filhos, Eu vos agradeço por estarem junto com este que se chama Pedro II. Façam sempre conforme está na Bíblia e agora como esta neste último Livro de Deus que é A Palavra Viva de Deus, onde Meu Santo Nome já diz tudo." Mensagem alusiva à vida Litúrgica do Santuário de Fátima distribuição da Eucaristia e a Igreja da SS Trindade sem sacrário, ou sem sacrarário no centr
  • Ricardo Ramalho
    03 mai, 2017 Lisboa 20:52
    Blocos para quê? O pessoal já nem na A2 sairá com o trânsito. Por causa dum incêndio foram km de fila e não sei quantas horas... Tenho a sensação que à saída de Lisboa já vamos ficar parados. Não se esqueçam que o pessoal da função pública tem de ir lá picar o ponto ou não foi por isso que lhes foi dada tolerância de ponte.
  • Luis
    03 mai, 2017 Lisboa 19:48
    E que mais medidas vão ser tomadas? Assim os possiveis terroristas podem descartar essa forma.Como de costume os jornalistas sempre na frente para ajudar as forcas do mal.
  • Luis
    03 mai, 2017 Lisboa 19:47
    E que mais medidas vão ser tomadas? Assim os possiveis terroristas podem descartar essa forma.Como de costume os jornalistas sempre na frente para ajudar as forcas do mal.
  • Cesco
    03 mai, 2017 Açores 19:19
    Cubos em betão para "bloquear" viaturas. E aqui, o que é que fazem para bloquear um comentário normalíssimo e de certa maneira instrutivo, como o que eu fiz há coisa de 1 hora atrás????
  • Joca
    03 mai, 2017 Terra 18:45
    Boa, boa, informem os turras...
  • emaria
    03 mai, 2017 porto 17:54
    No egipto é mais seguro?Manobras...
  • Random
    03 mai, 2017 Canidelo 17:46
    Toca a mudar a estratégia sr. terrorista