O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

António Costa. "Ninguém substitui Mário Soares no seu lugar na história" da democracia

24 abr, 2017


Antigo Presidente e fundador do PS foi homenageado este domingo no Porto.

O secretário-geral do PS, António Costa, garante que "ninguém substitui Mário Soares no lugar que é seu na história do Portugal democrático".

"Agora que nos deixou é caso para perguntarmos: não há ninguém insubstituível? Sei que ninguém substitui Mário Soares no lugar que é seu na história do Portugal democrático. Obrigado, Mário Soares", disse António Costa no final de um discurso na sessão de homenagem ao antigo chefe de Estado, realizada no Porto.

Para o actual secretário-geral do PS, Mário Soares, que morreu a 7 de Janeiro, aos 92 anos, "nunca resignou, nunca desistiu" e sempre exprimiu que "antes de mais estava a liberdade e, por isso, foi sempre livre, no poder, contra os poderes que enfrentou e continuou livre fora do poder".

"Foi assim que começou no combate à ditadura. Podemos dizer que em todos os momentos decisivos da nossa história recente Mário Soares foi o rosto e foi a voz da nossa liberdade", frisou.

Costa considerou também que "ninguém contribuiu tanto como Soares para a construção de Portugal do pós 25 de Abril" e que, apesar de "muitas vezes" não ter sido compreendido, "há que reconhecer que, no essencial, era ele quem tinha razão".

"Foi seguramente quem melhor interpretou o papel de Presidente da República no nosso sistema semipresidencialista, afirmando-se como verdadeiro Presidente de todos os portugueses, mas o seu legado na chefia dos seus três curtos Governos tem sido muito subestimado", acrescentou.

Para António Costa, "as traves mestras do Estado social de direito foram então lançadas" por Mário Soares, como "o poder local democrático, a independência do poder judicial, a universalização da Segurança Social, a revisão do Código Civil que revolucionou o direito de família e a criação do Serviço Nacional de Saúde".

"Todos estes foram grandes contributos dos três Governos de Mário Soares", disse.

O socialista destacou ainda que Mário Soares "esteve sempre presente em todos os combates do seu tempo" e quando cessou funções presidenciais, não se retirou, sendo que "a sua vida era uma vida de liberdade e a liberdade um combate permanente".

Esta homenagem, uma iniciativa da Federação Distrital do Porto do PS, decorreu no Rivoli Teatro Municipal.

A sessão "Mário Soares -- Uma vida pela Liberdade" teve na sua comissão de honra Alexandre Quintanilha, Artur Santos Silva, Carlos Lage, Fernando Gomes, Francisco Assis, Manuel Pizarro, Orlando Gaspar, Rosa Mota, Rui Moreira e Tiago Barbosa Ribeira, entre outros socialistas e personalidades do Porto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Sara Fragas
    26 abr, 2017 Lisboa 17:38
    E que eu saiba ninguém quer isso.A não ser você mesmo para apagar a memória dele no PS.Com o tempo veremos se alguém com as ambições políticas sem limite não fará tudo para que o nome Soares, seja esquecido e só seja pronunciado o de costa o homem que veio do oriente.
  • Barros
    25 abr, 2017 V N Famalicao 14:32
    Espero bem não haver pessoas para ocupar ou substituir o lugar onde esteve uma grande merda de homem como foi o ladrão e mafioso do Soares.
  • António Almeida
    24 abr, 2017 V.N. de Gaia 17:20
    VÁ DE RETRO SATANÁS.
  • Democracia???!!!!
    24 abr, 2017 rqtparta 13:08
    Mas que democracia? Foi para ele enriquecer mais e todos os politicos que entram pobres para a politica e depois ficaram podres de ricos, com acumulações de cargos e com reformas de dois mandatos, para entregar este país a estrangeiros, e agora está o povo na miséria com salários dos mais baixos da europa e em permanência austeridade, um país que deixou de produzir para ser dependente de empréstimos. Mas há democracia em portugal? Então com milhares a viverem sem dignidade e sem dinheiro para o essencial, vive em democracia. Isto tudo não passa de uma palhaçada. Tenham vergonha!!!!
  • POPULISTA FALSO
    24 abr, 2017 Lx 09:33
    O Mário Soares é o maior embuste da histórica democrática do país.Um burguês exilado em Paris a mandar uns bitaites enquanto outros eram presos e mandados para a cadeia. Sempre foi um palavroso e nada mais...Devemos o 25 de abril ao Capitão Salgueiro Maia, esse sim merecedor de uma estátuta. O Soares e a família aproveitaram-se do novo regime e mandaram no país, corromperam-no e mamaram na teta até mais não. E já agora a descolonização foi a maior vergonha de todos os tempos do regime democrático. O Soares nunca teve estratégia mas apenas instinto político, apenas isso. E com ele e os xuxas já lá vão 3 resgates..O resto é música celestial...
  • bobo
    24 abr, 2017 lisboa e outra 08:52
    Qual democracia? A da arrogância , do soberbo, do grosso de muito mal-educado e oportunista com uma politica de interesses
  • Barão Marquês
    24 abr, 2017 Penteado 08:25
    Nunca se sabe. Depois de ter empurrado Seguro pela borda fora e ter personalizado um assalto ao poder depois de perder eleições, é preciso manter Costa debaixo de olho muito capaz de se ir a mortos.
  • Antonio Ferreira
    24 abr, 2017 Porto 06:41
    Ninguém substituirá Mário Soares na história do PS. Já na história do país a situação é diferente ! Sr. António Costa, veja as últimas votações, para as presidenciais, em que concorreu o Sr. Mário Soares e perceberá quantos portugueses estiveram ao seu lado. O que é a história ? Teríamos muito para contar ....mas a história é o que é. O que é a liberdade ? Para alguns é poder ameaçar juízes.....e vamos ficar por aqui. Ainda é muito cedo para fazer a verdadeira história do país, talvez a futuras gerações, menos ideológicas, sejam capazes de ser isentas nos julgamentos. Nesta vida Sr. Costa, tudo é efémero. Os ídolos todos tiveram pés de barro. Veja como acabou a história do comunismo no mundo............, e dos seus continuadores, apesar de continuação de alguns velhos do Restelo, que precisam de manter as reformas e alguns empregos para os familiares e amigos. Estamos numa fase de mudança ! E no fim das ideologias que já não convencem ninguém, e foram causadoras de muitos males para os povos. Talvez a mudança esteja a começar em França......quem sabe. O ideólogos tradicionais, parece que não tiveram sucesso. Vamos ver o que nos reserva o futuro, pode ser que tenha chegado o tempo de enterrar, definitivamente, as ideologias que acham eram detentoras das verdades absolutas. Precisamos de ar fresco e de alguém que diga olhos nos olhos o que quer fazer pelo país e não assumir-se como o pai da pátria. Já nos cansamos dos pais ideológicos.
  • 24 abr, 2017 05:03
    Por muito longa que seja a vida do costa nunca chegará a ser tão canalha como o foi o soares
  • Cam.
    24 abr, 2017 Esmoriz 04:15
    Claro que não. Na historia se fica pelo bem e pelo mal. Maria. Bonita e o companheiro LAMPIÃO no Brasil também ficaram.