O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Agressor de mulher na Feira por se recusar a dar cigarro fica em prisão preventiva

12 abr, 2017


A vítima foi hospitalizada, mas acabou por morrer depois de ter sido empurrada para um declive.

O homem suspeito de agredir uma mulher que acabou por morrer, em Santa Maria da Feira, vai aguardar o desenrolar do processo em prisão preventiva, informou fonte da Polícia Judiciária (PJ).

O suspeito foi presente esta quarta-feira a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a prisão preventiva, podendo esta medida de coacção ser substituída pela prisão domiciliária com pulseira electrónica.

O agressor, um operário de construção civil de 33 anos, está indiciado por um crime de ofensa à integridade física, agravado pelo resultado, porque os investigadores consideram que o detido não tinha intenção de matar.

O caso teve origem numa contenda, com agressões físicas e verbais, a propósito de um cigarro que a vítima recusou dar ao seu vizinho.

"Na sequência da discussão, o suspeito manietou a vítima e projectou-a para um declive, onde aquela caiu desamparada e bateu com a cabeça numa das pedras ali existentes", refere um comunicado da PJ que foi divulgado hoje.

O incidente acabou por ser fatal para a mulher de 37 anos que acabou por morrer hoje de manhã no hospital, onde tinha dado entrada "em coma, com lesões cerebrais muito graves".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Pois é!
    13 abr, 2017 dequalquerlado 10:38
    Não tinha intenção de matar e agride a mulher daquela forma? então alguém descarrega a sua raiva feito animal selvagem, mata outra pessoa e não teve intenção de matar. É que há mesmo intenção de matar, porque há muitos que só acabam de agredir depois que a vitima morre. Estes investigadores de meia tigela são tão bons como aquele que tirou a vida à pobre mulher. Tristeza!
  • Ora bem!
    13 abr, 2017 dequalquerlado 10:27
    Mata uma mulher e vai para prisão domiciliária?! Isto mostra um falta de respeito muito grande pela vitima, então agora as pessoas estão sujeitas a serem mortas até por negar um cigarro?! Oh meu Deus, que justiça de mda! Só falta agora a justiça dizer que a culpa é de quem perdeu a vida! sinto NOJO desta justiça! Este país já está quase igual aos países árabes, ou até igual, com muita gente igual aos terroristas e com uma justiça que lhes trata com amor e carinho. A estupidez que se tem visto neste país é uma coisa impressionante