O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

​A propósito de cedências

06 mar, 2017 • Opinião de Ribeiro Cristovão


Desta vez, nos Europeus de Pista Coberta, disputados em Belgrado, na Sérvia, a representação portuguesas averbou duas medalhas.

O fim-de-semana que acabámos de viver fica marcado por alguns acontecimentos relevantes e que extravasam o quase sempre repetitivo domínio futebolístico. Para a história ficam mais duas medalhas que enriquecem o já muito vasto património do atletismo em algumas das suas diversas vertentes.

Desta vez, nos Europeus de Pista Coberta, disputados em Belgrado, na Sérvia, a representação portuguesas averbou duas medalhas: a de ouro, no triplo-salto, por via de uma notável actuação do já consagrado vencedor Nélson Évora, a de prata, também no triplo-salto, através de Patrícia Mamona.

Ambos merecem nota alta, e uma palavra de incentivo para que prossigam o trabalho desenvolvido até aqui, para que volte a ser possível a conquista de novos galardões em competições futuras internacionais para assim ampliarem o prestígio do atletismo nacional.

Por cá, os grandes momentos aconteceram em Alvalade onde, numa votação recorde, Bruno Carvalho foi reeleito presidente do Sporting Clube de Portugal tendo atingido uma percentagem superior a 86%, com o outro candidato a uma diferença de perder de vista.

Foram momentos vividos por entre um enorme fervor clubista, eivados de esperança no futuro e marcados também pela promessa de que haverá um Sporting campeão, por mais de uma vez, nos próximos quatro anos.

Já o jogo de ontem à noite frente ao Vitória de Guimarães veio, ao contrário, confirmar as apreensões que há algum tempo se instalaram na família leonina.

A pobre exibição da segunda parte frente aos minhotos, para o que as mexidas de Jorge Jesus na equipa contribuíram decisivamente, veio confirmar que há muitas coisas a mudar para que seja possível cumprir as promessas presidenciais.

Já antes fora discussão dos dois primeiros lugares da tabela, este empate veio arrumar definitivamente a questão, deixando esse assunto circunscrito apenas a Benfica e FCP orto que, ao contrário dos leões, saíram incólumes das pelejas em que estiveram envolvidos.

Os portistas chegaram mesmo a uma goleada pouco habitual, confirmando assim o grande momento que a equipa atravessa e a certeza de que irão lutar até ao último silvo da temporada.

Mais difícil e tangencial foi a vitória do Benfica, ainda assim a justificar os três pontos averbados no difícil terreno de Santa Maria da Feira.

Ou seja, Benfica e FC Porto voltaram a não ceder, enquanto o Sporting deixou mais uma vez bem à vista a insuficiência da estratégia definida há meses que muito contribuiu para que esta temporada possa vir a ser considerada um verdadeiro desastre.

Artigos AnterioresRibeiro Cristovão
 

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Manuel Vila Pouca
    06 mar, 2017 13:56
    Fantástico, lindo, o espectáculo de pirotecnia em Santa Maria da Feira, não foi António Ribeiro Cristóvão? Ai não viu? Só vê e só fica incomodado quando é com adeptos do F.C.Porto? Que azar o nosso...
  • Vitor Lopes
    06 mar, 2017 Lisboa 13:25
    No Sporting, enquanto estiver este palhaço como presidente, ganham zero