O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
O Mundo em Três Dimensões
Números que contam histórias. De segunda a sexta às 05h40, 14h30 e 21h10 com reposição ao fim-de-semana.
A+ / A-
Arquivo
O Mundo em Três Dimensões

Um prédio pode ser uma floresta. E produzir 60 quilos de oxigénio por dia

02 mar, 2017 • André Rodrigues


E se 3.000 plantas transformassem dióxido de carbono em 60 quilos de oxigénio por dia? E se vivesse no interior de um prédio que é, ao mesmo tempo, uma floresta gigante em altura? As florestas verticais, da autoria do arquitecto italiano Stefano Boeri, são construções sustentáveis que recebem árvores e arbustos de grande e médio porte, com o objectivo de trazer de volta às cidades a vegetação que foi sendo progressivamente eliminada por blocos de cimento. Milão já tem duas construções do género. Lausanne, na Suíça, prepara-se para ter a sua. E na China vão nascer duas florestas verticais em Nanjing. Provavelmente em 2018. E vão contribuir para a diminuição dos ruídos urbanos, do dióxido de carbono e da poeira suspensa no ar.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.