|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

Francisco Sarsfield Cabral
Opinião de Francisco Sarsfield Cabral
A+ / A-

Os sindicatos e o ensino público

29 abr, 2016 • Opinião de Francisco Sarsfield Cabral


A Fenprof preocupa-se com os professores, não tanto com os alunos. Cada vez mais Mário Nogueira parece o verdadeiro ministro da Educação.

Os comunistas têm vindo a perder peso eleitoral; por isso tentam manter o seu peso sindical, algo que o Bloco de Esquerda não possui, embora tenha já ultrapassado os comunistas em votos. A CGTP e, em particular, a Fenprof nela integrada e dirigida há décadas por Mário Nogueira, têm grande importância para o PCP. Os professores são a maior classe profissional do país.

O novo ministro da Educação desde logo enveredou por medidas simpáticas para a Fenprof. No caso das provas de aferição, que ele queria obrigatórias já no corrente ano lectivo, teve que recuar, por pressão do Presidente Marcelo (como a Renascença na altura noticiou).

Agora, o ministro concordou em ser “avaliado” trimestralmente pelos sindicatos (a FNE também propôs essas “avaliações”). Da parte da Fenprof é algo irónico, visto que ela sempre se opôs à avaliação dos professores. Também se opõe, claro, a qualquer descentralização do monstro burocrático que é o Ministério da Educação. E a Fenprof preocupa-se com os professores, não tanto com os alunos. Cada vez mais Mário Nogueira parece o verdadeiro ministro da Educação.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Paulo Alves
    30 abr, 2016 Lisboa 15:32
    Eis o vazio! E sobre o vazio nada há a comentar, excepto a possibilidade do sr Francisco Cabral ter um contrato que o obrigue a escrever sobre qualquer coisa, inclusive sobre algo de que pouco entende e ter sido obrigado, com ou sem vontade, a pegar nos clichés habituais. Chama-se a isso meter o bedelho no metier dos outros. Será? Já agora, sr Francisco, e que tal rever o conceito de sindicato!
  • Antonio Franco
    30 abr, 2016 Genebra 07:51
    "Porque no te callas?" O Sr. sabe o que é um sindicato?
  • ROSALINA
    30 abr, 2016 Porto 03:21
    Senhor Francisco Li o seu comentário sobre o poder da fenprof. na Educação. A grande maioria dos professores não são da Fenprof. Eles representam aqueles que são sócios. Mas os professores não tem quem os defenda .Não há uma "Ordem" como noutras profissões, o Estado não deixa. Por que será ?. Nunca se viu tantos comentadores a falar e opinar sobre Educação .Os professores foram "torturados, desprezados, desrespeitados e incompetentes " . A comunicação Social ajudou a toda essa festa, atirando todas as culpas para os prof. Queria dizer o seguinte: Nunca se viu tantos prof. na psiquiatria. As salas de aulas, roubam a voz destes, 50% do tempo é para impor a disciplina nas aulas. Os alunos, são violentos, não tem regras de educação. " E crime", o que se passa no ensino. Os Senhores Diretores , não dizem o que está mal...Dizem que tudo corre bem... É uma mentira. É altura de arrumar as coisas como deveriam ser.
  • Nuno Silva
    30 abr, 2016 Viseu 00:03
    Concordo plenamente.
  • Fernando
    29 abr, 2016 vila nova de Famalicão 23:56
    O senhor Francisco agora tb percebe de educação.
  • 29 abr, 2016 20:57
    Mario Nogueira e um terrorista cujo unico interesse e destruir e viver a custa dos contribuintes e dos outros. Devia ser banido e proscrito de uma vez. Um sindicalista patrocinador e instigador de um ambiente selvagem na educacao. O contributo que tem dado a Portugal e nenhum. Desgracados dos alunos de semelhante inutil, ultra conservador social fascista.
  • Maria
    29 abr, 2016 Estremoz 19:48
    Que opinião tão a lés do que se passa no ensino! A fenprof é um sindicato e como tal só tem é que defender os seus sócios e mais nada.
  • cebento
    29 abr, 2016 lisboa 17:29
    Francisco , com certeza que o senhor sabe que os primeiros sindicatos foram criados para melhorar as condições de trabalho de homens e mulheres ! "As escolas estão cheias de problemas do mesmo modo que os hospitais estão cheios de doenças. Mas a sociedade não culpabiliza os médico pelas doenças incuráveis... Os médicos pertencem ao mundo real , enquanto os professores vivem no mundo mágico da educação, sobre a qual todos sabem alguma coisa!!!" Todos dão palpites porquê? Porque não estão dentro da sala de aula, no recreio, no refeitório. Porque não sabem a falta de auxiliares. Porque não sabem como agem certas famílias. " É assim o mundo mágico da educação, tão fácil de resolver, que ninguém entende porque não funciona." Mas
  • Gualter Moreira
    29 abr, 2016 Lisboa 15:31
    A propósito e ainda q mal pergunte: quem é que elegeu este Nogueira? E há qtos anos não há eleiçoes na FENPROF? E por lá as eleições são mesmo livres ou é tipo da CGTP, cujo candidato é sempre um cromo mandatado pelo PCP para assumir as funções da coisa? A votação é secreta ou é mão no ar, bem à maneira stalinista? E como diabo entram governos, saem governos e ao longo de 40 anos tivemos apenas 2 secretários Gerais nestes 2 organismos? Estão agarrados àquilo que nem lapas, qualquer dia pedem meças ao outro que lá esteve tb quase 40 anos. Livra! Aquilo deve ter mel.
  • friendlysox
    29 abr, 2016 paraiso 14:36
    Bandidos.... O MP só não investiga, por é o próprio Cruz Serra (reitor do ULisboa) que convida os senhores Juizes e Procuradores a dar aulas na Faculdade de Direito da ULisboa. É publico à muito tempo que Cruz Serra e a sua equipa reitoral reina sobre a esfera do tráfico de influencias, abuso de puder e corrupção passiva......