|
Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

A luz continua acesa

06 abr, 2016 • Opinião de Ribeiro Cristovão


​Não foi a noite europeia que uma grande maioria esperava, a confirmar assim, mais uma vez, que o futebol é imprevisível e que os resultados só se tornam na expressão definitiva dos jogos quando é dado o derradeiro pontapé na bola.

De facto, a resistência do Benfica, em Munique, frente ao todo-poderoso Bayern que permite trazer para Lisboa a definição da eliminatória por ter perdido por apenas um golo, não estaria no horizonte, inclusive, de muitos muitos adeptos do Benfica.

O mesmo pode concluir-se da derrota do Atlético de Madrid em Barcelona, onde chegou a estar a vencer por 1-0 e acabou com apenas dez jogadores em campo, e que leva para o Vicente Calderón a solução deste cotejo espanhol dos quartos-de-final da Liga dos Campeões Europeus.

Porque o que mais nos interessa é a presença do campeão português no Alianz Arena de Munique, algumas breves notas para fazer subir a primeiro plano esta prestação dos encarnados.

Desde logo, um golo sofrido muito cedo pareceu adensar as nuvens à volta daquilo que poderia vir a ser a sorte do Benfica.

Mas a verdade é que a equipa não se desuniu e foi até capaz de criar alguns embaraços a Pep Guardiola. Reconheça-se, porém, a superioridade do campeão germânico, expressa em todos os vectores, o que permite adivinhar grandes dificuldades no jogo de retribuição.

O Benfica fez um jogo marcado pela qualidade, com uma enorme solidariedade entre todos os atletas, o que tornou possível resistir a uma das melhores equipas do mundo.

Disfrutou até de oportunidades para poder chegar ao empate, mas por essa ausência de golos é também responsável a formação do Bayern.

Terá ficado um penalty por marcar a favor dos comandados de Rui Vitória?

A serem seguidos os critérios dos árbitros portugueses não ficam dúvidas a esse respeito.

Só que o juiz era oriundo da Polónia, e a Champions não é o campeonato português.

Fica a faltar apenas uma semana para se conhecer o destino do Benfica na Europa.

Até lá, a Liga portuguesa vai falar mais alto, e as atenções estão já viradas para o Estádio Municipal de Coimbra.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vila Forte
    06 abr, 2016 Algés 17:16
    Sr.Ribeiro Crsitóvão: já leu o que os jornais italianos escreveram sobre o penalty cometido pelo Bayern? Isso desmente-o, dizendo que só os árbitros portugueses é que marcam esses penalties. Ou é ou não é os senhores jornalistas mimeticamente é que fazem essas definições. É penalty em qualquer parte do mundo e se fosse a favor dos clubes que levaram respectivamente, 7-1 e 6-1 em Munique, agora havia carpideiras por aí, que não se calariam nos próximo seis meses e o Senhor Ribeiro Cristóvão, com todo o respeito que tenho por si, seria uma delas. Basta lembrar da final da Liga Europa onde o Benfica foi espoliado até dizer basta por um árbitro alemão, com um jogador barbaramente agredido que ficou um ano sem jogar, dois penalties evidentes por marcar, e depois aquela fantochada do "sr.Beto" nos penalties...a comunicação social portuguesa nada ou pouco disse, enquanto a espanhola, parece com menos medo e espírito de capelinha desancou o árbitro como bem deve saber e o beneficiado foi o Sevilha. Mas adiante, como o Sr. RC diz vai ser muito difícil cá, mas como diz o povo, enquanto há vida há esperança. E o Benfica merece que tinhamos essa esperança até ao fim, com sempre demonstrou na sua vida de Glória em todos os tempos. Melhores cumprimentos Sr.RC, Henrique Vila Forte