Nota de Abertura
A+ / A-

Esmola grande

21 out, 2015 • Opinião de Nota de Abertura


Colocado assim o compasso no sítio apetecido, é fácil proclamar onde fica o centro do mundo: ali mesmo, no local onde se inscreve “sede do poder”. O resto é paisagem, minudência…

Diz a sabedoria popular que "quando a esmola é grande, o santo desconfia".

O ditado pode, com a devida prudência e adaptação, aplicar-se às conversões partidárias a que estamos a assistir: de repente, a dívida e a forma de a pagar são coisa de somenos; ser ou não defensor de uma Europa da liberdade é discussão que pode ficar para mais logo; deitar a perder os sacrifícios violentos que afectaram mais os mais desprotegidos é, afinal, apenas um mal menor; ceder na tentação ao social que se descuidou é, finalmente, justo e adequado.

Colocado assim o compasso no sítio apetecido, é fácil proclamar onde fica o centro do mundo: ali mesmo, no local onde se inscreve “sede do poder”. O resto é paisagem, minudência…

Noutras circunstâncias, alguém reivindicaria: restituam ao povo o poder de decidir.

Como tal não é possível, o único apelo constitucionalmente irrecusável é este: não condenem o país a caprichos e a improvisos. É que, afinal, sem bom senso, tudo o mais não passa de ofensa gratuita a quem faz o dia-a-dia de uma nação: a sua gente!...

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António Freitas
    21 out, 2015 Funchal 18:50
    Tinha a RR por ser uma rádio privada, católica mas de serviço público e não de defesa publica de partidos...já parece o jornal "sol"...a descer tão baixo....fico surpreendido!!!
  • Francisco Clamote
    21 out, 2015 Almada 18:41
    Julguei que era "o pobre desconfia".
  • Carlos Pereira
    21 out, 2015 Mira de aire 17:04
    Bem dito esta nota de imprensa Ilustra bem a sede de poder a qualquer custo cuidado pois não se pode deitar a perder tudo o que foi feito nos últimos 4 anos e o sacrifício feito por todos portugueses ao longo deste período e quando a esmola é grande até o pobre desconfia cuidado com os esquerdistas
  • Maria
    21 out, 2015 Porto 08:32
    É impressionante como a Rádio Renascença desce tão baixo. A defender estes bandidos da direita. Estes fascistas. Qualquer dia até o cardeal patriarca arrota postas de pescada. Da desgraça que vai no país não diz este editorial nada. Vocês são assim miseráveis naturalmente ou treinam mesmo para esse efeito?
  • Vítor Almeida
    21 out, 2015 Setúbal 08:07
    Bem hajam pela lucidez!
  • Padre Zé
    21 out, 2015 Ferreira do Zêzere 07:44
    "os sacrifícios violentos que afectaram mais os mais desprotegidos" - exactamente. Querem continuar? Querem mais? Nota-se que a administração da RR e o Patriarcado gostaram. O papa Francisco terá outra opinião, não?...