Nota de Abertura
A+ / A-
Nota de Abertura

Maria Barroso (1925-2015)

07 jul, 2015 • Nota de Abertura • Opinião de Nota de Abertura


Queria ser lembrada como "uma cidadã modesta, mas amante da liberdade, da solidariedade e do amor". Queria e vai consegui-lo.
Maria Barroso queria ser lembrada como "uma cidadã modesta, mas amante da liberdade, da solidariedade e do amor".

Queria e vai consegui-lo, pois são esses os traços que emergem claramente de um percurso que hoje é sublinhado a várias vozes, mas sem dissonâncias.

Maria Barroso vai ser ainda recordada como uma mulher que se abriu ao dom da fé e que procurou vivê-la na simplicidade, sem respeitos humanos, nem complexos. Sem a impor a ninguém, mas sem esconder a sua própria escolha.

Socialmente empenhada e participativa, não se lhe conhecem apetências por honrarias, sabendo ocupar o seu lugar com a dignidade extraordinária dos simples.

Com luz própria – o que só por si diz imenso e constitui uma lição de carácter.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.