A+ / A-

Dívida pública cresce 400 milhões de euros em novembro

02 jan, 2019 • Lusa


Em dezembro, deve baixar por causa do pagamento antecipado ao FMI anunciado pelo ministro das Finanças.

A dívida pública aumentou 400 milhões de euros em novembro, face a outubro, para os 251,48 mil milhões de euros, atingindo um novo recorde, segundo dados divulgados esta quarta-feira pelo Banco de Portugal (BdP).

Para este aumento contribuíram essencialmente os empréstimos e as emissões de títulos de dívida, refere a instituição.

Em dezembro, a dívida pública deverá baixar por causa do pagamento antecipado ao Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciado no mês passado pelo ministro das Finanças.

De acordo com o BdP, os ativos em depósitos das administrações públicas reduziram 0,2 mil milhões de euros, pelo que a dívida pública líquida de depósitos registou um acréscimo de 0,6 mil milhões de euros em relação ao mês anterior, totalizando 225 mil milhões de euros.

Mário Centeno anunciou em 10 de dezembro que Portugal concretizou o pagamento do total da dívida ao FMI, com a liquidação de 4,7 mil milhões de euros.

O ministro disse que o pagamento total do empréstimo ao FMI ascende a 28 mil milhões de euros, estimando que as poupanças com o pagamento antecipado do que faltava, de 4,7 mil milhões, totalizam cerca de 100 milhões de euros.

No total, as poupanças acumuladas ao longo dos últimos dois anos serão de 1,16 mil milhões de euros, adiantou Centeno.

Afirmou ainda que o Governo mantém os objetivos para 2018 e 2019 de redução do rácio da dívida no PIB para 121,2% e 118,5%, respetivamente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.