A+ / A-

Brexit. Theresa May volta a recusar segundo referendo

16 dez, 2018


Primeira-ministra britânica aponta baterias a Tony Blair, que esta semana defendeu a ideia de um novo referendo. Defender um segundo referendo "é um insulto ao cargo que ocupou e às pessoas que serviu”.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, enfatizou este domingo a sua recusa em convocar um segundo referendo sobre o ‘Brexit’ e criticou o antigo governante Tony Blair por defender essa opção.

“Tentar enfraquecer as nossas negociações [com Bruxelas] defendendo um segundo referendo, é um insulto ao cargo que ocupou e às pessoas que serviu”, disse Theresa May, num comunicado em resposta ao antigo primeiro-ministro britânico que esta semana defendeu a necessidade de se realizar um segundo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia (‘Brexit’).

May garantiu ainda estar confiante de que vai conseguir “garantias adicionais” junto da União Europeia (UE), notando que não se vai “esquivar” da responsabilidade de cumprir o estipulado pelo primeiro referendo, no qual 51,9% da população votou favoravelmente à saída da UE.

“Muitas pessoas querem subverter este processo em prol dos seus próprios interesses políticos, em vez de [defenderem] o interesse nacional”, acrescentou.

Theresa May vincou ainda que o parlamento tem “o dever democrático de cumprir com a decisão de voto dos britânicos”.

Em 14 de dezembro, o Conselho Europeu adotou um conjunto de conclusões que não altera em nada a posição dos 27 sobre o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia, com os líderes europeus a reiterarem a indisponibilidade para renegociar.

“O Conselho Europeu reconfirmou as conclusões de 25 de novembro, dia no qual endossou o acordo de saída e aprovou a declaração política. A União mantém o seu apoio a este acordo e pretende proceder à sua ratificação. Este não está aberto a uma renegociação”, lê-se no primeiro ponto das conclusões da reunião a 27, dedicada ao Artigo 50.º.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    16 dez, 2018 18:28
    A escumalha tuga que defende o Brexit devia ser obrigada a emigrar para o Reino Unido.
  • Anónimo
    16 dez, 2018 18:27
    Deve ser como quando disseste que não ias convocar eleições antecipadas mas acabaste por o fazer, não foi, ó Theresa May?