Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

​Acertar velhas contas

11 set, 2018 • Opinião de Ribeiro Cristovão


Portugal venceu a Itália por escasso 1-0 numa noite festiva no estádio da Luz que vestiu as melhores galas para assinalar a estreia da nossa selecção na mais jovem.

O futebol português levou 61 anos para acertar contas com o seu homólogo italiano. A noite para esse ajuste chegou ontem, e assim Fernando Santos pode justamente chamar a si a autoria dessa proeza que cada vez mais tardava em chegar.

Portugal venceu a Itália por escasso 1-0 numa noite festiva no estádio da Luz que vestiu as melhores galas para assinalar a estreia da nossa selecção na mais jovem competição organizada pela UEFA, a Liga das Nações.

A partir de agora, e mercê da conquista desses três pontos, a selecção nacional passa a comandar a classificação do Grupo 3 da Liga A, onde discute apuramento não apenas com os italianos mas igualmente com os polacos com os quais vai encontrar-se já em Outubro próximo.

Sem Cristiano Ronaldo, Fernando Santos introduziu novidades no 11 nacional. E fê-lo em boa hora, porque da exibição conseguida, mais até do que do resultado, ficou a ideia de que o futebol português não tem razões para encarar com pessimismo o futuro com preocupações.

É claro que com a inclusão do melhor jogador do mundo, Portugal assume uma dimensão diferente, de mais valia, de maior capacidade, e de garantia que vai ser possível assumir com dignidade a posse de campeão da Europa.

Sessenta e um anos depois, a selecção de Portugal vergou a Itália ao peso de uma derrota.

Derrota escassa, porque o jogo justificou a diferença de pelo menos mais um golo.

A imprensa transalpina diz mesmo que a sua selecção foi uma decepção bem castigada por André Silva, até há pouco jogador do Milão.

Começámos bem. Bom será que continuemos melhor.

Artigos AnterioresRibeiro Cristovão
 

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.