Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

E faltam trinta... ou noventa

03 set, 2018 • Opinião de Ribeiro Cristovão


É ainda muito cedo para traçar cenários. Faltam trinta jornadas, a que correspondem noventa pontos.

Cumpridas apenas quatro jornadas do nosso campeonato maior eis que surge a primeira interrupção. E logo por vinte dias. Claro que já se sabia, que todos estavam à espera.

Mas parar assim uma marcha tão promissora tem um sabor desconfortável, que nem os jogos da selecção que se seguem ou mesmo a Taça da Liga conseguem suavizar.

Perante um facto inevitável, o melhor é fazer contas e projectar um balanço, ainda que mini.

E a primeira constatação após quatro jogos disputados por todos os 18 participantes é que já não há nenhum só com vitória. Numa prova assim tão temporã mão deixa de ser um facto curioso.

E se há surpresas, a mais evidente chega de Alvalade, onde mora uma equipa em construção, como agora se diz, mas recursos parcos que à partida não deixavam indiciar que pudesse chegar a esta altura contabilizando dez pontos. Mérito dos jogadores e de José Peseiro que, no entanto, não podem deixar de olhar para o futuro próximo sem alguma preocupação.

É que quando voltarem ao trabalho vão ter à sua espera na Pedreira um Sporting de Braga, protagonista, até agora, de uma excelente capacidade de produção.

Ao Sporting juntam-se, também com uma dezena de pontos, exactamente o Braga e o Benfica, este depois de ter cumprido um ciclo que foi capaz de ultrapassar com enorme sucesso.

Já o FCPorto, ao permitir que os afonsinos tenham vindo ao Dragão derrubar o seu castelo, permitiram levantar uma série de dúvidas que o os tempos mais próximos poderão ajudar a dissipar.

E, no longo pelotão, as notas mais baixas vão para Desportivo das Aves e Portimonense, que não conseguiram embolsar mais do que um ponto cada até esta altura.

Mas é ainda muito cedo para traçar cenários.

Faltam trinta jornadas, a que correspondem noventa pontos.

O que significa que, até ao desmanchar da feira, lá para Maio do próximo ano, serão ainda escritos muitos capítulos da história que o futebol português vai ser capaz de escrever.

Artigos AnterioresRibeiro Cristovão
 

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ricardo
    03 set, 2018 Lisboa 12:04
    A partida não deixavam antever que chega-se a esta altura do campeonato com dez pontos , que nódoa de comentário o SCP excepto a ida a luz jogou com as 3 equipas que mais perto estiverem de descer de divisão o ano passado , quanto a recursos parcos pergunte aos seus amigos da comissão de gestão o seguinte : o que seria do plantel do SCP com Fábio Coentrão ( que não quiseram ) com Francisco Geraldes , Palhinha , Mateus , Dala , e Miguel Veloso que também o seu amigo Cintra não quis para ficar com Petrovic e Misic , mesmo assim com os recursos escassos ainda se vê : "modestos jogadores como : Coates , Acuna ,Nani , Bruno Fernandes , Bas Dost , Jovane Cabral ( se fosse do Carnide já valia 300 milhões ) , Raphinha , Gudelij , Suturaro , MAthieu , nada mau mesmo para recursos parcos .
  • António Gomes
    03 set, 2018 Vila Nova de Gaia 08:42
    Voltou o "capo" da propaganda benfiquista na RR. Repugnância!