Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-
Opinião de Ribeiro Cristovão

​Hora da mudança

29 jun, 2018 • Opinião de Ribeiro Cristovão


A partir das 19h00 deste sábado a selecção nacional vai enfrentar a sua congénere do Uruguai.

Cumprida a fase de grupos do Mundial de Futebol, estão à porta os oitavos-de-final com França e Argentina a abrirem as hostilidades num dia em que a selecção de Portugal vai ser de novo posta à prova.

A partir das 19h00 deste sábado a selecção nacional vai enfrentar a sua congénere do Uruguai, um jogo muito difícil para o qual será necessário um futebol diferente, de qualidade superior, para não se correr o risco de a nossa comitiva regressar mais cedo a casa.

Será conveniente recordar que os uruguaios venceram todos os desafios da fase inicial, não tendo sofrido aí um golo sequer. É verdade que os adversários foram o Egipto, a Arábia, ambos derrotados apenas por um magro 1-0, tendo sido apenas no desafio com a Rússia -3/0- que a superioridade uruguaia se tornou mais evidente.

Fernando Santos deixou há poucos dias a promessa de melhor futebol e de rendimento mais adequado dos jogadores à classe que lhes é reconhecida, a partir da fase decisiva em que apenas a vitória permite continuar no Campeonato.

E é muito provável que isso venha a acontecer: a pressão que os primeiros jogos exerceram sobre os jogadores passará agora a ter características diferentes. Porém, sabendo-se da experiência de todos eles a nível internacional, parece menos provável que haja uma débacle.

A selecção do Uruguai, país que já venceu por duas vezes o Campeonato do Mundo, é reconhecidamente muito forte e constituída por jogadores de grande craveira.

Apesar disso, devemos manter a esperança de que vai ser possível ultrapassar mais este obstáculo. Sábado à noite se saberá do que fomos capazes.

Artigos AnterioresRibeiro Cristovão
 

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.