O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Jacinto Lucas Pires-Henrique Raposo
Um escritor, dramaturgo e cineasta e um “proletário do teclado” e cronista. Discordam profundamente na maior parte dos temas. À segunda e quarta, às 9h15
A+ / A-
Arquivo
Jacinto Lucas Pires-Henrique Raposo - Salário Mínimo e Marcelo nos EUA - 27/06/2018
Jacinto Lucas Pires-Henrique Raposo - Salário Mínimo e Marcelo nos EUA - 27/06/2018
J. Lucas Pires

Salário mínimo acima dos 600 euros é recusar "ser a China da Europa"

27 jun, 2018


Patrões e Governo admitem a hipótese de aumentar o salário já em 2019.

O escritor Jacinto Lucas Pires diz que a disponibilidade por parte dos patrões e Governo para aumentar o salário mínimo nacional acima dos 600 euros em 2019 é um sinal de que Portugal não quer "ser a China da Europa".

A disponibilidade para elevar o remuneração mínima foi um dos temas em discussão no debate desta quarta-feira, no programa Carla Rocha - Manhã da Renascença. Jacinto Lucas Pires considera que esta medida transmite a ideia de que Portugal não quer "ser um lugar de mão-de-obra barata", mas sim um país que aposta no trabalho qualificado e no valor acrescentado.

Sobre o mesmo assunto, Henrique Raposo considera que esta é uma boa notícia e um reflexo da melhoria económica. "Se todos os agentes económicos estão a confluir nesse sentido parece-me que sim [um reflexo da melhoria económica]".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Padaria Portuguesa
    27 jun, 2018 Por Cá 11:42
    Talvez um aumento que dê para beber mais 1/2 café por dia, e desde que se dê uma compensação às empresas e se pare de falar na mão cheia de nada e a outra, de coisa nenhuma, que foi a farsa da alteração da Legislação Laboral, em que se fizeram mexidas de cosmética para ficar tudo na mesma...