Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-
Opinião de Ribeiro Cristovão

​Cadê os favoritos?...

18 jun, 2018 • Opinião de Ribeiro Cristovão


Há evidentes sinais de que tudo é possível. Porém, todos estão ainda a tempo de recuperar, o que se deseja, para que o Campeonato não resvale para um patamar de menor qualidade.

O Mundial de Futebol está a decorrer sob auspícios, isto é, quando todos julgávamos que o lote de favoritos estava circunscrito a três ou quatro selecções, a primeira jornada da fase grupos está a demonstrar exactamente o contrário.

Primeiro, a Espanha não ganhou a Portugal, a Alemanha foi derrotada pelo México, o Brasil ficou-se por um empate frente à reconhecidamente capaz formação helvética, e a Argentina também não fizera melhor no confronto com a Islândia.

Só a França conseguiu averbar uma vitória, mas ao cabo de um enorme sofrimento imposto pelos homens da terra dos cangurus.

Portanto, os primeiros indícios deixam bem à vista a possibilidade de a selecção portuguesa passar a ser mais do que candidata se, entretanto, daqui por dois dias confirmar a boa exibição de sexta-feira e chamar para si os três pontos de um jogo difícil que vão estar em disputa.

Há evidentes sinais de que tudo é possível. Porém, todos estão ainda a tempo de recuperar, o que se deseja, para que o Campeonato não resvale para um patamar de menor qualidade.

A nota de maior destaque após todos os jogos já vistos, e para os grandes nomes que deixaram dúvidas maiores, entre os quais Messi e Neymar, vai sem qualquer hesitação para o nosso

Cristiano Ronaldo, cuja exibição no desafio com a Espanha tem corrido o mundo esgotando todos os adjectivos que o nosso dicionário comporta.

Vamos, pois, continuar a acompanhar o maior acontecimento do mundo, mantendo a expectativa de que a selecção portuguesa vai ser capaz de cumprir o sonho de todos nós.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.