O Mundo em Três Dimensões
Números que contam histórias. De segunda a sexta às 05h40, 14h30 e 21h10 com reposição ao fim-de-semana.
A+ / A-
Arquivo
O Mundo em Três Dimensões - Açucar nos refrigerantes - 21/03/2018
O Mundo em Três Dimensões - Açucar nos refrigerantes - 21/03/2018
O Mundo em Três Dimensões

Portugueses ingeriram menos 5.630 toneladas de açúcar em 2017

21 mar, 2018 • André Rodrigues , Paulo Teixeira (sonorização)


Imposto sobre as bebidas açucaradas, introduzido no Orçamento do Estado de 2017, trouxe ganhos para a saúde dos portugueses. Consumo de refrigerantes com mais de 80 gramas de açúcar por litro caiu para metade.

Um imposto pode não ser só ir à carteira do contribuinte sem mais nada. No discurso oficial todos têm justificação. Ainda que, por vezes, duvidosa.

Mas no caso do imposto aplicado às bebidas açucaradas em 2017, o impacto revelou-se bastante positivo para a saúde dos portugueses.

O estudo que analisa os impactos do chamado 'Imposto Coca-Cola' indica que os portugueses consumiram menos 5.630 toneladas de açúcar em 2017. E a Autoridade Tributária justifica esta vitória sobre o açúcar com uma redução de quase 50% no consumo de bebidas que apresentam teor igual ou superior a 80 gramas por litro.

Há exemplos que são demasiado ilustrativos do mal que, por vezes, fazemos a nós mesmos: uma lata de 33 centilitros do refrigerante mais conhecido à escala global contem 35 gramas de açúcar, que correspondem a cinco pacotes de açúcar para adicionar ao café.

O mais recente Inquérito Alimentar e de Atividade Física da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto foi feito entre outubro de 2015 e setembro de 2016 e teve por base uma amostra de 6.553 cidadãos entre os três meses e os 84 anos. E diz que um em cada seis portugueses ingere pelo menos um refrigerante por dia.

Sendo que, no grupo dos adolescentes, a prevalência sobe para um refrigerante por cada dois em cinco.

Mais preocupante, talvez, é que a quase totalidade da população portuguesa apresenta um consumo médio de açúcar superior ao limite diário recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Por outro lado, continuamos aquém dos 400 gramas diários de frutas e legumes recomendados pela OMS.

Estamos mesmo a precisar de mudar o nosso estilo de vida. Quase seis milhões de portugueses têm excesso de peso. Um problema que afeta oito em cada 10 idosos.

E apenas dois em cada cinco cidadãos apresentam prática regular de exercício físico.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.